Para o Secretário-Geral Adjunto da Internacional de Serviços Públicos (ISP), David Boys, o setor de saneamento está relacionado a questões ligadas a bens e recursos naturais, à própria existência, e, por isso, não deve ser privatizado. “Serviços vinculados aos recursos naturais não podem ser monopolizados por empresas. Serviços essenciais à vida têm de estar em mãos públicas”, afirma. Para ele, o caminho é o fortalecimento da democracia, com mais transparência e controle social público.

Leia a entrevista completa no site do ondas   https://bit.ly/2rWULJH

Fechar Menu