Nossa luta não tem trégua. Contra a privatização dos sistema elétrico nacional!

O leilão de privatização das distribuidoras da Eletrobras em Rondônia, Roraima e Acre está mantido para quinta-feira (30/9), O BNDES recebeu ontem, na B3 (Bovespa), as propostas dos interessados pelas distribuidoras da Eletrobras. O horário para entrega das garantias foi entre 12h e 15h desta segunda-feira (27/8).

Segundo fontes, três empresas apresentaram propostas pelas companhias. O jornal Valor apurou que a Oliveira Energia, que opera geradores nos Sistemas Isolados (regiões no Norte do país não interligadas ao restante do território), fez uma proposta pela Boa Vista Energia, de Roraima.
A companhia tem ainda interesse em arrematar a concessão da Amazonas Energia, que deve ser licitada ao fim de setembro.

As outras citadas pelo mercado como habilitadas são Equatorial, que já levou a Cepisa (concessionária do Piauí) no fim de julho, e a Energisa. A primeira teria feito uma oferta pela Eletroacre, enquanto a empresa controlada pelos Botelho teria se habilitado para disputar a Ceron (Rondônia).
Procurada, a Equatorial não respondeu até o fechamento desta edição. A Energisa não comentou as informações.

A habilitação para o leilão não garante que as empresas entregarão, de fato, os envelopes no leilão. A disputa está marcada para quinta-feira às 15h, na sede da B3 em São Paulo.

A disputa pela Cepisa surpreendeu por só receber a oferta da Equatorial, uma vez que a distribuidora do Piauí era considerada o melhor dos ativos colocados à venda pela Eletrobras. A companhia fez uma proposta agressiva, ao abrir mão de toda a flexibilização tarifária aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para garantir a atratividade das concessionárias.

Isso foi possível devido às sinergias que serão capturadas pela companhia na concessão do Piauí, muito próxima da Cemar, distribuidora do Maranhão também operada pela Equatorial. A companhia também é concessionária da Celpa, no Pará, o que indica que tem sinergias com outras distribuidoras na região Norte.

Em relatório publicado na semana passada, o Bradesco BBI apontou que Equatorial e Energisa são as principais candidatas à aquisição das concessionárias da Eletrobras em Rondônia e no Acre. Segundo os analistas Francisco Navarrete, Bruno Arruda e Victor Oliveira, o fato de a Cepisa só ter recebido uma oferta não significa que outros não teriam interesse nas distribuidoras do Norte.

Pelos cálculos dos analistas, a Ceron pode atingir um valor presente líquido de R$ 757 milhões no leilão, caso o vencedor dê uma oferta sem desconto em relação às flexibilizações tarifárias concedidas pelo regulador. No mesmo cenário, a Eletroacre teria valor presente líquido de R$ 124 milhões. A Boa Vista Energia, por sua vez, teria valor de R$ 154 milhões para um potencial comprador. As distribuidoras estão sendo vendidas pelo valor simbólico de R$ 50 mil cada, mas envolvem a assunção de dívidas e a obrigação de fazer investimentos pesados na melhoria do serviço prestado.

Leia também:
Nesta terça (28): distribuidoras do sistema Eletrobras paralisam suas atividades por 72 horas

Não à privatização do sistema Eletrobras e a entrega do patrimônio do povo brasileiro!
 Pressione os senadores contra a venda das distribuidoras Eletrobras e o Pré-Sal: saiba como

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu