No último dia 22 de outubro, dirigentes do SINDISAN, acompanhados da assessoria jurídica do sindicato, estiveram reunidos com o presidente da COHIDRO, Paulo Sobral, na sede daquela companhia (foto abaixo), para tratar dos dissídios coletivos já ganhos na Justiça.

O posicionamento do gestor, infelizmente, foi o de sempre: protelar o pagamento do que é devido aos trabalhadores. De acordo com Sobral, não é possível a Companhia pagar esses valores, cumprindo com as decisões judiciais, devido a não haver na previsão orçamentária do Estado os respectivos recursos para o pagamento das ações.

Mas, ainda de acordo com o presidente, ele estaria buscando garantir recursos para tentar os pagamentos dos valores que são de direito dos trabalhadores da COHIDRO a partir de 2021.

Apesar da boa vontade do gestor, mais uma vez ficou só na promessa. Como não cabe outro recurso na Justiça, o sindicato vai aguardar cumprimento do que foi prometido pelo gestor.

O SINDISAN está sempre buscando o diálogo com a direção da COHIDRO para tentar solucionar o pagamento desses valores que, é bom ressaltar, são frutos de ganho de causa na Justiça em favor dos trabalhadores. Infelizmente, a direção da companhia apenas protela o pagamento. Entretanto, cedo ou tarde, terá que honrar com este.

Fonte: Ascom Sindisan

Fechar Menu