A diretoria da Celpa Equatorial fez contato com a direção do Sindicato dos Urbanitários do Pará e com o Sindicato dos Engenheiros solicitando reunião por videoconferência para negociar acerca da Medida Provisória 936/2020. Tivemos uma primeira conversa na manhã desta quarta-feira, 13.
Mas antes de qualquer proposta, os Sindicatos deixaram bem claro para os representantes da Celpa Equatorial que não haverá qualquer tipo de negociação antes da empresa pagar a PLR 2019. Noutras palavras, os dirigentes sindicais colocaram como condição para iniciar a negociação, o pagamento da PLR 2019.
Diante da condicionante imposta pelas entidades sindicais, a comissão de negociação da Celpa Equatorial ficou de dar uma resposta na próxima reunião, agendada para o dia 19 de maio, próxima terça-feira.
A MP 936 foi editada em abril de 2020 pelo governo federal possibilitando redução salarial com redução de jornada de trabalho e suspensão de contratos de trabalho.
Escalas do COI
Nesse primeiro contato, a empresa manifestou vontade de implementar a escala de 12 x 36hs aos trabalhadores e trabalhadoras lotados no COI. O Sindicato já fez uma consulta prévia, a posição dos trabalhadores é contrária à escala 12 x 36hs. Podemos debater com a empresa, mas a palavra final será dos trabalhadores do COI.

Descumprimento do acordo da PLR
Os dirigentes sindicais colocaram em pauta na videoconferência desta quarta-feira, 13, com a direção da Celpa Equatorial o descumprimento do acordo coletivo referente ao pagamento da PLR 2019, que deveria, segundo o ACT, ser pago até o dia 31 de março de 2020.
Na véspera do prazo final, a direção da Celpa Equatorial divulgou que iria realizar o pagamento no dia 30 de abril de 2020, prazo que também deixou de ser honrado pela empresa. Os representantes da Celpa Equatorial ficaram de nos responder na reunião marcada para a terça-feira, 19.

Fonte: Ascom STIUPA

Fechar Menu