“Nesse momento, estamos dando uma demonstração que o nosso interesse não é prejudicar a população, queremos resguardar nossos direitos e manter a Eletrobras pública, o que é bom para todos. Sem a privatização, significa que a nossa conta de luz não vai disparar, como disparou o combustível durante a semana de greve. Esse é o nosso compromisso”

Para Fernando Pereira, secretário de Energia da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU) e coordenador do Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE), a greve de 72 horas dos trabalhadores da Eletrobras, que teve início na primeira hora desta segunda-feira (11/6), contou com ampla adesão dos setores administrativo e de manutenção em todo o país. Já o setor de operações funciona com o quadro completo, sem prejuízos à população.

Pereira diz que o fato de o setor operacional não ter paralisado é uma demonstração de “boa vontade” da categoria, já que até mesmo o Tribunal Superior do Trabalho (TST), em decisão que reconheceu a legalidade da greve, estabeleceu funcionamento mínimo de 75%.

Segundo o CNE, a categoria quer a derrubada de projetos em tramitação na Câmara e no Senado que tem como objetivo a privatização da Eletrobras, e também são contra projeto de portabilidade da conta de energia, que, segundo eles, traria consequências desastrosas para as distribuidoras. Os eletricitários também reivindicam a saída imediata do presidente da Eletrobras, Wilson Pinto Ferreira Júnior, identificado como símbolo do processo de privatização e de destruição da estatal.

“Nesse momento, estamos dando uma demonstração que o nosso interesse não é prejudicar a população, queremos resguardar nossos direitos e manter a Eletrobras pública, o que é bom para todos. Sem a privatização, significa que a nossa conta de luz não vai disparar, como disparou o combustível durante a semana de greve. Esse é o nosso compromisso”, declarou o coordenador do CNE.

Eletricitários comemoram 56 anos da Eletrobras com bolo #ForaPinto

Em diversos estados, os eletricitários fizeram bolos para comemorar os 56 anos da Eletrobras, comemorado neste 11 de junho. O tema não poderia ser outro Fora Pinto!

No Rio de Janeiro, em frente a sede da Eletrobras, foi realizado um grande no hora do almoço  desta segunda (11/6), pedindo a saída de Wilson Pinto Jr. da presidência da estatal e com informes à população sobre os prejuízos ao país caso a empresa seja privatizada.

Desde que chegou à empresa, Wilson Pinto Júnior sempre faltou com a verdade, primeiro momento “dizia ser contra a privatização da Eletrobras”, em seguida, com o tempo mostrou ao que veio e a quem presta serviço. E em determinado momento, demonstrando total desequilíbrio, lamentavelmente, chamou as trabalhadoras e os trabalhadores da Eletrobras de vagabundos!

Campanha salarial

A data base da categoria eletricitária acontece em meio à onda privatizante do governo. Sem avanços na negociação do acordo coletivo de trabalho, a Eletrobras apresentou uma proposta, considerada insatisfatória pelo CNE. Na proposta, a empresa ofereceu 70% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC para reajustes nos salários e benefícios.

Ainda nesta segunda-feira (11/6), a empresa encaminhou nova proposta para apreciação. Dessa forma, os sindicatos da categoria de todo o país devem realizar assembleia nesta terça-feira (12/6) para deliberar sobre o tema. (com informações: Rede Brasil Atual e Stiu-DF)

 

? ACOMPANHE A COBERTURA DA PARALISAÇÃO DOS ELETRICITÁRIOS PELO FACEBOOK DA FNU: https://www.facebook.com/FNUCUT/

? Veja o álbum de fotos: Eletricitários param em todo o país – https://www.fnucut.org.br/fotos/eletricitarios-param-em-todo-o-pais/

 

Fechar Menu