A privatização do saneamento básico, como quer o golpista Temer, vai tornar o serviço caro e não vai acabar com o déficit do setor. Para especialistas, o processo de privatização é um ataque ao direito universal de acesso a água, e atinge a população de menor renda. Na reportagem da Rede TVT, o assessor da FNU e membro da coordenação do Fórum Alternativo Mundial da Água, Edson Aparecido da Silva, reforça a luta em defesa de um saneamento público de qualidade.

Fechar Menu