Durante os dias de 24 a 29 de junho, em Buenos Aires na Argentina, mais de 400 líderes e dirigentes sindicais de toda a América participaram da 12ª Conferência Interamericana de Serviços Públicos. A conferência aconteceu no Palácio das Águas Correntes, primeira estação de água tratada da Cidade. Promovida pela Internacional de Serviços Públicos, (ISP), temas como a justiça fiscal, o caos climático, segurança social, remunicipalizacões, estatizações dos serviços públicos, políticas de inclusão, quotas de participação das mulheres, da juventude no mundo do trabalho e a defesa da segurança social, foram alguns dos pontos abordados durante esses dias nas mesas de trabalhos.

A secretária da Juventude da FNU e da Regional Litoral do Sindiágua-RS, Renata Valim, na oportunidade foi eleita para uma vaga de suplência feminina no Comitê Executivo Interamericano da ISP, representando a FNU.

Segundo Renata Valim a realização da Conferência da ISP foi fundamental para discutir temas estratégicos para a classe trabalhadora em todas as suas vertentes. “Da América que vivemos para a América que queremos o povo acima do lucro, em busca de um mundo do trabalho mais justo e igualitário e um sindicato também mais inclusivo, não apenas para aqueles grupos da sociedade que tem posição majoritária no mundo do trabalho. Precisamos olhar para a comunidade LGBTQI+, para os negros, para os jovens, para os povos originários, estes que já foram esquecidos no mundo do trabalho atual, disse ela.

Projeto DGB

A companheira também Renata Valim foi escolhida entre 9 jovens para participar da conferência, inteiramente patrocinada pelo projeto DGB em parceria com a ISP. Jovens sindicalistas dos mais diversos ramos de atuação, de todos os cantos do país e todos dos setores públicos.

O projeto DGB é financiado pela maior Central Sindical Alemã, a Deutscher Gewerkschaftsbund (DGB) e tem como objetivo principal a capacitação de jovens sindicalistas de países ainda em desenvolvimento. O financiamento desse projeto e dos demais oferecidos pela DGB, em outros países e aqui no Brasil, provem exclusivamente de recursos do governo Alemão, o que demonstra o compromisso e a responsabilidade deste governo com as classes trabalhadoras. A Alemanha atualmente é o país que mais respeita as leis trabalhistas, sindicatos e os movimentos sociais.

Os projetos da DGB no Brasil atuam com a juventude sindical e com a política do sindicato inclusivo, através dos movimentos de raças e LGBTQI+.

Comitê de jovens da ISP Brasil

Anterior ao IANRECOM os jovens brasileiros puderam apresentar os projetos já desenvolvidos no primeiro semestre do ano de 2019 no qual Renata Valim a faz parte representando a FNU. Foi apresentado também, projetos para os próximos 12 meses de trabalho, onde uma campanha de sindicalização de jovens trabalhadores será o ponto principal, e será repassado a para todos os sindicatos e federações filiados a ISP Brasil.

De acordo com a Secretária da Juventude da FNU, Renata Valim, atrair o jovem para o mundo sindical, ter uma linguagem mais prática, tratando de assuntos sérios como caos climático, justiça fiscal, manutenção das empresas públicas com serviços de qualidade e ataques aos direitos dos dirigentes sindicais precisam estar na base e também no dia a dia . “É inadmissível pensarmos que na Guatemala os dirigentes sindicais estão sendo presos por tentarem negociar os acordos de trabalho, é inadmissível pensarmos que aqui no Brasil mais de 60% dos jovens trabalhadores não querem ter ligação alguma com o movimento sindical, ao mesmo tempo em que estamos sendo atacados por um governo federal de extrema direita. É preciso conscientizar a juventude e a classe trabalhadora que no sistema capitalista você só conquista os direitos lutando”, garantiu a secretária da juventude.

Fonte: Texto com informações da Ascom do Sindiágua-RS

 

Fechar Menu