A Campanha Salarial/2021 dos trabalhadores e trabalhadoras da Sanasa saiu da empresa e foi parar na Comissão de Conciliação Prévia do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15). Ali, sob a supervisão de um mediador, foi possível construir minuta de acordo para atender uma antiga reivindicação da categoria: a correção das distorções do Plano de Cargos e Salários.
Há anos a direção do Sindae insiste que, sem corrigir estas distorções, qualquer mapeamento será inútil, porque a base de avaliação se encontra irregular. Mas, a empresa sempre negou aos dirigentes sindicais acesso a informações do Plano de Cargos como, por exemplo, os critérios de avaliação de cada trabalhador.
O Plano de Cargos da Sanasa é mais fechado que uma caixa preta de avião. Tanto isso é verdade que, para ter acesso a ele, recentemente a direção do Sindae precisou recorrer à Justiça. Agora, o quadro mudou.
Em quinze dias será constituída uma comissão, com representantes do Sindae e da Sanasa, que avaliará os casos de trabalhadores em disfunção salarial; e definirá os critérios para aplicação dos recursos para corrigir. Para realizar este trabalho, os membros terão acesso a todas as informações do plano. Sem essa transparência torna-se complicado analisar os casos de distorções salariais existentes e exigir a correção devida.
Este trabalho não vai se estender indefinidamente. Ele tem data para começar e terminar. Até o mês de outubro, a comissão avaliará cada caso e também definirá a aplicação dos recursos para corrigir as disfunções salariais.
NEGOCIAÇÃO DA DATA-BASE
Em paralelo ao trabalho da comissão do Plano de Cargos, continuam as negociações da Campanha Salarial/2021. E a qualquer momento, caso a Sanasa apresente uma contraproposta em condições de ser avaliada pelos trabalhadores, a direção do Sindae convocará assembleia para discutir, avaliar e deliberar a respeito.

Fechar Menu