A FNU, o CNE, a FRUNE e a Fisenge entregaram na manhã do dia 27 de outubro, no Rio de Janeiro, uma representação na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) cobrando uma rigorosa investigação sobre o suposto favorecimento financeiro ao Grupo 3G, que teria tido acesso a informações privilegiadas junto ao Ministério de Minas e Energia sobre a possível privatização da Eletrobras. Com a posse dessa informação estes investidores teriam faturado milhões de forma fraudulenta no mercado de ações.

É importante lembrar que as entidades sindicais já ingressaram no Ministério Público Federal cobrando providências sobre esta mesma situação, assim como, estiveram na Comissão de Ética da Presidência da República exigindo a apuração das denúncias que envolvem a Secretaria-Executiva do Ministério de Minas e Energia, na figura do seu titular, Paulo Pedrosa.

Fechar Menu