A imagem pode conter: 6 pessoas, incluindo Edson Aparecido da Silva, pessoas sorrindo, pessoas em pé
Lançamento do livro em São Paulo- SP (5/12). Edson Aparecido da Silva ao centro na foto

“A água e o esgotamento sanitário como direitos humanos fundamentais” é o capítulo do livro  Direitos Humanos no Brasil 2018, assinado por Edson Aparecido da Silva, assessor de Saneamento da FNU – Federação Nacional dos Urbanitários.

Edson discorre no livro que a falta de acesso à água e ao esgotamento sanitário, nos moldes definidos pela declaração da ONU, coloca em evidência a discriminação vivida pela população que vive nas ruas, que habita as favelas, cortiços e ocupações, populações que têm dificuldade de acessar serviços básicos e se abastecem de água de formas precárias e alternativas, que alguns classificam de “roubo de água” ou “ligações clandestinas”, porque não entendem que essas populações também não podem viver sem água. Ou seja, define Edson: “vivemos cotidianamente a violação dos direitos humanos, também com relação à água e ao esgotamento sanitário”.

Leia o capítulo a partir da página 233: Livro Direitos Humanos no Brasil 2018

O relatório Direitos Humanos no Brasil é publicado anualmente pela Rede Social de Justiça e Direitos Humanos em parceria com dezenas de organizações sociais de vários setores e regiões do Brasil e oferece um amplo panorama dos direitos humanos, incluindo direitos civis, políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais.

Leia aqui o livro: Livro Direitos Humanos no Brasil 2018

Leia também:
ONDAS se consolida como instrumento de luta contra o retrocesso no saneamento básico

Urbanitários em luta: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

 

Fechar Menu