“A este respeito, já falei que não tenho ideia preconcebida”, disse o futuro ministro de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque Albuquerque, ao ser questionado sobre a proposta de privatização da Eletrobras apresentada pelo governo do presidente Michel Temer.

Anteriormente, Bento Albuquerque disse à imprensa que é “preciso conhecer melhor a empresa” antes de tomar qualquer posição e que “não tem ideia preconcebida de nada”.

Direção da Aneel

Na semana passada (11/12), o futuro ministro participou da cerimônia de posse da nova diretora da Aneel, Elisa Bastos Silva.

Elisa, que terá um mandato de quatro anos na diretoria da Aneel, atuou como assessora especial de assuntos econômicos do Ministério de Minas e Energia (MME). Possui graduação em Análises de Sistemas, mestrado e doutorado em Planejamento de Sistemas Energéticos pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Durante o seu discurso, Elisa disse que seu mandato será pautado no diálogo. Para a nova conselheira, o desafio da agência é debater o novo marco regulatório para o setor em um “modelo baseado no consenso e no restabelecimento de interesses que às vezes soam divergentes”, disse. “[Para isso, é] fundamental a capacidade de diálogo na lida diária”, afirmou.

Elisa destacou que é preciso promover um ambiente de negócios que promova a estabilidade regulatória e que vai trabalhar para criar um ambiente que aumente a participação de mulheres no setor elétrico. A nova conselheira, afirmou que de seus quatro assessores, três serão mulheres, por reconhecimento ao quadro técnico da Aneel e pela “força das mulheres”. (com informações: Agência Brasil)

Urbanitários em luta: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

Fechar Menu