Em assembleia realizada pelo Sinergia-MS na manhã desta quinta-feira (19), os trabalhadores da MS Gás aprovaram a proposta de Acordo Coletivo 2019/2020. A votação ocorreu na sede da empresa, em Campo Grande, e foi conduzida pelo presidente do sindicato, Elvio Vargas, e pela diretora Alicéia Araújo.

O acordo garante o reajuste salarial de 2,55%, que corresponde à reposição da inflação (INPC), e um aumento de 5,1% no valor dos tíquetes refeição e alimentação, sendo o índice da inflação (2,55%) como reajuste e os outros 2,55% como abono limitado até 31 de outubro de 2020.

“É mais uma empresa que a gente consegue ganho real. Nesse caso, foi o ganho real no tíquete-alimentação, mesmo que foi em abono, é um ganho positivo. Os trabalhadores saíram satisfeitos e para nós é isso que é importante”, avaliou o presidente do Sinergia-MS, Elvio Vargas.

Em relação ao Plano de Cargos e Salários (PCS), mesmo após vários pedidos do sindicato durante as negociações, a MS Gás se recusou a incluir no ACT uma cláusula que garanta que a empresa apresentará o plano ao sindicato antes da aprovação.

“Mesmo com essa recusa, nós vamos continuar tentando acompanhar essa questão do PCS, conversando com os trabalhadores e buscando informações com a empresa, para que a construção dele seja coerente com o que a categoria reivindica”, afirmou Elvio Vargas.

Fonte: Ascom Sinergia-MS

Fechar Menu