Eletricitários demitidos ilegalmente no Governo Collor (1990-92) e readmitidos posteriormente reivindicam tratamento jurídico igual a de outros trabalhadores, com os mesmos direitos e garantias. Para assegurar a isonomia no local de trabalho, o STIU-DF formalizou denúncia no Ministério Público do Trabalho – MPT expondo a condição dos anistiados que estão sem lotação na Eletronorte.

O MPT abriu Inquérito Civil Público, onde foi concedido prazo de 15 dias para a Eletronorte encaminhar os currículos dos 12(doze) trabalhadores sem lotação. Além disso, o Ministério do Planejamento terá 45 dias para remanejar os profissionais, que terão o mesmo tratamento por parte da empresa.

A segunda audiência está marcada para o dia 25 de abril. (fonte: Stiu-DF)

Fechar Menu