A Eletrosul está comemorando hoje 50 anos de atividades com o lançamento de um selo comemorativo e com a presença do presidente da Eletrobras, Wilson Pinto Jr. Porém, no auditório lotado para a cerimônia, os trabalhadores da empresa protestam e pedem: Fora Wilson Pinto!

Uma faixa diz: “Fora Pinto Jr. você não é bem vindo na Eletrosul”. E mais: há a presença de uma pessoa fantasiada de um “pintinho amarelinho”.

Um presidente rejeitado

Não faltam motivos para os trabalhadores do sistema Eletrobras pediram sua saída da presidência.

Wilson Pinto assumiu a Eletrobras em julho de 2016 com a promessa de que a estatal não seria privatizada.  Na presidência, iniciou um Plano Diretor de Negócios e Gestão (PDNG), onde ficou evidente as pretensões do gestor. Na lista, está o favorecimento do mercado com a entrega do controle acionário da empresa, demissão de 12 mil trabalhadores e a penalização da população brasileira com o aumento da tarifa de energia.

Também na gestão da Eletrobras, Wilson Pinto solicitou um aumento de 46% do próprio salarial, ao mesmo tempo em que negocia um reajuste de 1,69% para a categoria eletricitária. A contratação da FSB comunicação por R$ 2 milhões para depreciar a estatal e facilitar o processo de privatização é outra atitude que inviabiliza a continuidade do atual presidente à frente da maior estatal elétrica da América Latina.

Além disso, discriminou e desrespeitou os trabalhadores ao chamá-los de “vagabundos”.

Parabéns aos trabalhadores que constroem a Eletrosul

Nesta data, a FNU – Federação Nacional dos Urbanitários – felicita a todas as trabalhadoras e trabalhadores que constroem a Eletrosul há 50 anos!

E reitera sua luta na defesa do sistema elétrico nacional, contra a privatização Eletrobras e suas subdisiárias, que o governo federal ilegítimo tenta entregar ao capital estrangeiro sem levar em conta sequer sua história e importância econômica e cultural para todo o país.

Deixe uma resposta

Fechar Menu