A presidente do Sinergia-MS, Elizete Ferreira de Almeida, e o diretores Élvio Vargas e Francisco Ferreira da Silva se reuniram com representantes da Energisa, nessa terça-feira (27), na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande. A mesa redonda ocorreu após solicitação do sindicato para cobrar medidas que possam garantir mais segurança aos eletricitários.

Durante o encontro, o Sinergia-MS abordou dois assuntos que já haviam denúncias protocoladas na Superintendência. O primeiro foi sobre um parecer técnico, feito por um perito especializado do setor elétrico, contratado pelo sindicato. O documento traz uma análise detalhada do acidente que provocou a morte do eletricista Jean Roberto Weiss Ramos, de 29 anos. O caso aconteceu no dia 23 de outubro de 2017, quando o trabalhador fazia a manutenção de uma rede elétrica, em Amambai.

O relatório, que foi protocolado no Ministério do Trabalho no mês passado, aponta e solicita à Energisa a implantação de várias ações preventivas para que não ocorram mais acidentes fatais na empresa. A concessionária informou que também fez um relatório técnico e se comprometeu a apresentar ao sindicato.

Corte Isolado

Outro assunto debatido na reunião foi o descumprimento da NR-10 (regulamento que define regras de segurança para trabalho nas proximidades de instalações elétricas) provocado pela realização de cortes isolados.

A empresa já havia se comprometido a não solicitar que os eletricistas façam este tipo de serviço. O sindicato protocolou denúncia no Ministério do Trabalho para que o compromisso seja homologado e a concessionária mantenha a suspensão desses cortes tanto para funcionários da Energisa quanto terceirizados.

“Nós sabemos que a empresa não está mais fazendo o corte isolado, mas não temos a garantia que isso vai continuar, até porque ela fez investimentos nesta área. O que nós queremos é a interferência do Ministério do Trablho para produzir um documento que garanta que a Energisa não vai mais voltar com esta prática”, comentou o diretor do sindicato, Elvio Vargas.

Os dirigentes sindicais, os representantes da Energisa e o Ministério Trabalho decidiram que uma nova reunião será realizada no prazo de até um mês para conclusão das tratativas. (fonte: Sinergia-MS)

Deixe uma resposta

Fechar Menu