A proposta da Copasa para o Acordo Coletivo 2018 foi curta e grossa. Apenas o INPC de 1,69% de reajuste nos salários e benefícios e garantir os direitos anteriores do jeito que estão. Não apresentou qualquer resposta a nenhuma das outras reivindicações da pauta aprovada pela categoria.

A Comissão de Negociações dos sindicatos reiterou a reivindicação de ganho real de 7%, dotação para movimentações e enquadramento do PCCS, aplicação da avaliação de desempenho, correção dos benefícios pelo dobro do INPC, fim das terceirizações, vale combustível, reposição de vagas abertas, revisão do plano de saúde para beneficiar aposentados e trabalhadores de baixos salários, revisão da gratificação para dirigir veículos e demais itens da pauta.

A resposta ridícula para os salários dos trabalhadores acontece depois que a Copasa apresentou um lucro de R$ 560 milhões, decidiu ampliar de 25% para 50% a distribuição de seu lucro líquido para acionistas e até mais uma distribuição extra de R$ 280 milhões, comprometendo a capacidade de investimento interno nas estruturas da empresa.

O SINDÁGUA rejeitou na mesa a proposta patronal e convoca todos os trabalhadores para assembleias em que a categoria deverá confirmar a rejeição e tirar posição de luta por um Acordo Coletivo justo.

Fonte: Ascom Sindágua-MG

Deixe uma resposta

Fechar Menu