O Presidente do Sindicato dos Urbanitários da Paraíba (Stiupb), Wilton Maia Velez, considerou positiva a reunião remota realizada na noite da última terça-feira e que reuniu diretores e delegados de base de toda a Paraíba. O momento foi ímpar, já que os inscritos para suas falas puderam externar as situações vivenciadas em seus municípios, nos mais diversos aspectos dos seus ambientes de trabalho e de relações com suas comunidades.

O encontro foi aberto por Wilton Maia, que falou do objetivo da reunião, que serviu ainda para o lançamento da “Campanha Salve o Saneamento – Água é vida, não é mercadoria”.

Logo em seguida, vários delegados e diretores do Stiupb apresentaram as situações dos trabalhadores em diversos municípios, bem como as estratégias da entidade para buscar resolver os problemas apontados por cada um.

O assessor jurídico da entidade, Edjúnior Medeiros, fez um relato do trabalho do setor em benefício da categoria. Hoje são cerca de 1.500 processos decorrendo em prol dos trabalhadores.

A reunião remota teve a participação importante da presidenta do Sindicato dos Urbanitários de Alagoas, Dafne Orion.

Dafne falou do momento vivenciado pelos urbanitários alagoanos que ainda não enxergaram que tenha sido bom para o Estado o processo de privatização da empresa estadual de saneamento – a Casal, que foi vendida em 30 de setembro de 2020 por R$ 2,009 bilhões para a empresa BRK Ambiental, que deu o maior lance no leilão realizado na.bolsa de valores B3, em São Paulo.

Conforme Dafne, além de não conseguir cumprir com o prometido, a BRK trata seus funcionários de forma lamentável, oferecendo reajustes salariais incompatíveis com a realidade da empresa, “bem típico do setor privado que se preocupa tão somente com o lucro”, destacou a presidenta do Sindágua de Alagoas.

SOBRE A CAMPANHA – A Campanha terá início nesta semana, com divulgações em todas as plataformas digitais do Sindicato e tem por objetivo combater projeto do Governo do Estado que já anunciou a realização de leilão, via BNDES, até o final de 2002, para entrega dos serviços da Cagepa à iniciativa privada.