Segundo Wilson Pinto Jr. , meta da empresa é cortar mais cerca de 5.200 postos de trabalho
Veja boletim do CNE explicando esse assunto: Boletim CNE 13 11 2018

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Pinto Junior, disse nesta terça-feira (13/11) que vem mantendo relacionamento “produtivo” com a equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e que tem interesse em permanecer no cargo caso o projeto de reestruturação da companhia esteja nos planos do novo governo.

Ele disse que tem mantido contato frequente com um dos coordenadores da área energética da equipe de transição, o economista Luciano de Castro. “O relacionamento com a transição tem sido positivo”, disse Ferreira Junior, frisando que as medidas tomadas pela gestão atual têm recebido aprovação.

Ferreira Junior afirmou aos analistas que ainda não recebeu convite. “Formalmente, ainda não se sabe quem vai ser o ministro [de Minas e Energia] e entendo que [após ser nomeado] o ministro terá a prerrogativa de formalizar convite ou não”, comentou o presidente da Eletrobras.

Em 2018, a Eletrobras acumula lucro de R$ 1,2 bilhão, 53% a menos do que no mesmo período do ano anterior.

Corte de funcionários

O presidente da Eletrobras disse que a adesão ao último plano de demissão lançado pela companhia está abaixo do esperado e que novo programa pode ser lançado. Até esta terça-feira (13/11), apenas 200 pessoas aderiram -a meta é de 2.281.

Segundo ele, com a criação da área de serviços compartilhados e unificação dos sistemas, a companhia terá “excedentes importantes” de pessoal em todas as subsidiárias.

A Eletrobras já realizou um primeiro programa de demissões, com o desligamento de 2.056 empregados. Incluindo a transferência das distribuidoras ao setor privado, a companhia já reduziu em 32%, ou 8.420 pessoas, seu quadro de pessoal, com redução de R$ 2,1 bilhões na folha de pagamentos.

A meta é cortar mais cerca de 5.200 postos de trabalho, chegando ao fim do programa de reestruturação com 12.359 empregados. (com informações: Folha de S. Paulo)

Veja boletim do CNE explicando esse assunto: Boletim CNE 13 11 2018

Leia também:
20 e 21 de novembro: Seminário de Conjuntura do CNE – Coletivo Nacional dos Eletricitários

Luta contra privatização da Eletrobras não acabou: continuamos firmes
. Vitória: Senado rejeita projeto sobre venda de distribuidoras da Eletrobras

Urbanitários em luta: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

 

Fechar Menu