Um balanço feito pela direção do Sindae-BA ao final da tarde desta terça (19/6) mostrou uma adesão maciça da categoria à paralisação de 24 horas definida em assembleia realizada na semana passada. Praticamente toda a área administrativa da Embasa ficou parada, e pela primeira vez houve participação significativa de trabalhadores (as) das lojas de atendimento de Salvador, inclusive no SAC Barra, onde houve funcionamento parcial, visando garantir basicamente serviços de urgência.

Além disso, a paralisação teve grande repercussão na imprensa. Essa greve é uma reação da categoria à “enrolação” da empresa, uma vez que a nossa campanha salarial teve início em janeiro, e de lá pra cá a diretoria da Embasa sempre se ateve a uma proposta de apenas repor a inflação (1,69%), conforme o INPC-IBGE. Esquece que os números divulgados no balanço demonstram o crescimento dela, fruto do esforço da categoria.

O movimento de resistência será crescente, na proporção em que a empresa não demonstre vontade de agir no sentido de facilitar o fechamento do acordo. Isso quer dizer que a greve, apesar da participação maciça nesta terça, ainda pode se ampliar tanto em número de dias quanto de locais de participação. Afinal, a empresa tem hoje mais de 5 mil empregados (as) em todo o estado, com todos e todas aguardando condições dignas de trabalho e ampliação das conquistas.

Nesta quarta (20/6) haverá uma nova rodada de negociação e o Sindicato espera que, com a enorme demonstração de força e união dada pela categoria, a direção da Embasa apresente uma proposta que faça avançar a negociação do acordo coletivo deste ano.

A direção do Sindicato parabeniza a categoria, ao tempo em que convoca para que esse espírito de união seja mantido, uma vez que somente a luta coletiva pode dar o rumo da nossa campanha salarial. Vamos à vitória! (fonte: Sindae-BA)

Fechar Menu