Em boletim, A Aeel – Associação dos Empregados da Eletrobras – explica que as entidades de representação dos trabalhadores tomaram conhecimento que, em breve, estará em aberto uma vaga de Superintende na Auditoria Interna da Eletrobras, uma vez que o atual Superintendente irá se aposentar e argumenta que, “esperamos que a vaga seja preenchida por um profissional de carreira lotado naquela Superintendência de Auditoria Interna, o que é normal em qualquer organização comprometida com a boa cultura organizacional”.

Leia a seguir a boletim da Aeel (informe 149/19) na íntegra: 

Conforme a enciclopédia livre – Wikipédia, auditoria interna é uma atividade independente e objetiva de garantia e consultoria, concebida para adicionar valor e melhorar as operações de uma organização. Ela ajuda uma organização a atingir seus objetivos através de uma abordagem sistemática e disciplinada para avaliar e melhorar a efetividade dos processos de gerenciamento de riscos, controle e governança. Esta definição é mundialmente reconhecida e aceita, sendo divulgada pelo Instituto de Auditores Internos (Institute of Internal Auditors – IIA), representado no Brasil pelo IIA Brasil.

A atividade de auditoria interna geralmente é desempenhada por um departamento da entidade incumbido pela direção superior de efetuar verificações necessárias e de avaliar os sistemas e procedimentos da entidade, com vista a minimizar as probabilidades de fraudes, erros ou práticas ineficazes. A auditoria interna deve ser independente no seio da organização e se reportar diretamente ao seu Conselho de Administração.

Podemos conceituar auditoria interna como um controle gerencial que funciona por meio de medição e avaliação da eficiência e eficácia de outros controles. Deve ser entendida como uma atividade de assessoramento à administração quanto ao desempenho das atribuições definidas para cada área da empresa, mediante as diretrizes, políticas e objetivos por aquela determinada.

A auditoria interna cumpre um papel fundamental na empresa: subsidia o administrador com dados e informações tecnicamente elaborados, relativos às atividades para cujo acompanhamento e supervisão este administrador não tem condições de realizar.

Não deve haver limitação, no âmbito da empresa, para atuação da auditoria interna. O auditor interno deve ter acesso a todas as áreas e informações, terreno no qual e para o qual desenvolverá seu trabalho. Naquelas áreas cuja tecnologia desconhece, no todo ou em parte, deve ele assessorar-se de profissionais habilitados, a fim de entender o processo, para poder avaliá-lo e julgá-lo, possibilitando, assim, que seu relatório seja emitido corretamente.

As Entidades de Representação tomaram conhecimento que, em breve, estará em aberto uma vaga de Superintende na Auditoria Interna da Eletrobras, uma vez que o atual Superintendente irá se aposentar. Sendo assim, esperamos, que a vaga seja preenchida por um profissional de carreira lotado naquela Superintendência de Auditoria Interna, o que é normal em qualquer organização comprometida com a boa cultura organizacional.  É fundamental, pois esses trabalhadores/as ao longo dos anos veem desenvolvendo, coordenando e executando com responsabilidade e profissionalismo as atividades inerentes à Auditoria Interna. Qualquer coisa diferente, irá agravar ainda mais o retrato do clima organizacional dentro da holding, fugindo das melhores práticas internas.

Leia também:
Em boletim, CNE afirma: sem diálogo, o caminho é a greve
Paulo Guedes indica à permanência no cargo do pior presidente da Eletrobras: Wilson Pinto Jr.
Wilson Pinto acumula irregularidades na gestão da Eletrobras e CNE pede saída imediata do presidente
Nota de repúdio dos eletricitários contra as declarações do Presidente Wilson Pinto Jr.

Urbanitários em luta: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

 

Fechar Menu