Na quarta-feira (2/12), às 10 h, a Praça do Buriti, em Brasília (DF), será palco de Ato em defesa da CEB pública, onde trabalhadores da categoria, movimentos populares, parlamentares e o Sindicato dos Urbanitários no DF (STIU-DF) exigirão ao Governo do Distrito Federal a suspensão, imediata, do leilão da Companhia Energética de Brasília,

O STIU-DF alerta que a privatização da CEB, em 4 de dezembro, causará efeito devastador no sistema elétrico da capital federal e aumentos abusivos na conta de energia dos brasilienses. A exemplo do Amapá, que sofreu apagão que atingiu 90% da população, outros estados também arcam com as consequências da precariedade no fornecimento de energia elétrica devido à privatização, a exemplo, também, do estado de Goiás.

Entenda o caso

O Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, iniciou o processo de privatização sem ouvir a população e sem o aval da Câmara Legislativa do Distrito Federal. O GDF quer entregar ao mercado 51% das ações da concessionária para captar cerca de R$ 2,2 bilhões, o que não justifica a privatização da holding, que faturou, em 2019, mais de R$ 4 bilhões.

Os principais impactos para a população do DF, se a privatização for confirmada, serão o aumento na tarifa da conta de luz, risco de apagões por falta de manutenção nas atividades de fornecimento de energia, a terceirização da mão-de-obra e a precarização dos serviços.

A privatização da CEB impactará, ainda, a população mais vulnerável do DF – que poderá ficar sem acesso à energia elétrica -, a produção das empresas e a geração de emprego e renda. A CEB recebeu em fevereiro deste ano o prêmio Iasc – Índice ANEEL de Satisfação do Consumidor, por ser a melhor concessionária de energia do Centro-Oeste.

SERVIÇO

Trabalhadores realizam ato contra a privatização da CEB
Data: 2 de dezembro de 2020
Horário: 10 horas
Local: Praça do Buriti – Brasília (DF).
Porta-voz: João Carlos Dias: (61) 99909-6888
Assessoria de imprensa: Roberta Quintino (61) 98573-3995

Fechar Menu