Diretores do Sindicato dos Urbanitários da Paraíba (Stiupb), estiveram reunidos em audiência com o Procurador do Trabalho de Campina Grande, Dr. Raulino Maracajá Coutinho Filho, dia 22 último, para tratar da alteração unilateral do contrato de trabalho dos funcionários concursados da Cagepa, resultando em ato indevido e contrários as regras expressas na CLT, a qual rege o contrato de trabalho dos funcionários da Companhia.

A Reunião foi agendada pelo Ministério Público do Trabalho na Paraíba, após denúncia do Stiupb.

Presentes à reunião, que aconteceu na sede da Procuradoria em Campina Grande: Wilton Maia Velez, Presidente do Stiupb; Guilherme Mateus, Diretor de Patrimônio do Stiupb e Henrique Diógenes, também Diretor do Stiupb, além do advogado do Sindicato, Dr. Ítalo Rossi.

Os representantes da entidade sindical informaram que os trabalhadores da Cagepa, inicialmente trabalhavam 6h num dia pela manhã, 6h no outro dia a tarde e 12h no outro dia à noite, folgando 48h; Que depois passaram a trabalhar em regime de 12×36 e depois de 12×48 por revezamento de turnos e que, com a atual sistemática, a Companhia obrigou os trabalhadores a trabalharem 12×36 em turnos fixos.

Foi relatado durante a audiência, que a saúde dos trabalhadores que realizam suas atividades só à noite, pode ser extremamente prejudicada uma vez que, por exemplo, lidam com produtos químicos, num ambiente extremamente de risco durante todo o seu turno.

Outra questão externada foi o fato de que, no período da manhã, existe até a contratação de terceirizados para ajudar na atividade, o que não ocorre pra quem trabalha de noite.

Tanto o presidente do Stiupb, como os demais diretores sindicais e a assessoria jurídica, apresentaram argumentos quanto aos prejuízos para os trabalhadores por conta da mudança na jornada de trabalho Ressaltaram ainda os diretores que, anteriormente a empresa pagava as horas extras semanais, mas após a Reforma Trabalhista, não honra mais com esse benefício.

Na denúncia ao MPT, o Stiupb informou que recebeu dezenas de reclamações de funcionários da Cagepa sobre uma drástica alteração na jornada de trabalho de todos os funcionários do Setor Operacional, os quais trabalham sob o regime de escala de plantão de 12x36h, em todos os regionais da Paraíba e ainda relataram que estão extrapolando a jornada contratual e a empresa não está fazendo o devido apontamento das horas extras.

Concluída a audiência, o Stiupb vai apresentar novos argumentos em defesa dos trabalhadores e irá aguardar o parecer final do Procurador do Trabalho.

Fonte: Ascom Stiupb