Em matéria publicada pelo Estadão e Estado de Minas, o governador Romeu Zema voltou a defender a privatização da Cemig, informando também que o mercado aguarda a venda. A matéria aponta a dificuldade do governo do Estado, que ainda diz que optou por privatizar subsidiárias da empresa, em uma intenção muito clara de desmonte da estatal para, depois, “doar” à iniciativa privada.

A nossa luta contra a privatização da Cemig e suas subsidiárias continua. Ótima notícia de que o povo de Minas continua contrário à venda, numa sondagem feita pelo Estadão. São 55% dos mineiros contrários. Lembrando: O presidente da Assembleia Legislativa de Minas, Agostinho Patrus (PV), declarou, recentemente, que os acionistas privados da empresa detêm mais de 80% das ações da estatal, questionando: por que a iniciativa privada não investe na Cemig? Se privatizar, vai investir?

Confira a matéria dos dois jornais, que são a favor da privatização:

Promessa de Zema, oferta da Cemig é aguardada pelo setor

Cemig precisaria de R$ 15 bilhões para aplicar na infraestrutura necessária para atender adequadamente todo o território mineiro, recursos que o estado não tem

 

Uma das operações de privatização mais aguardadas do setor elétrico, é a venda da Cemig, uma promessa de campanha do governador Romeu Zema (Novo). No entanto, o Executivo mineiro tem tido dificuldade de avançar com o tema, que depende do Legislativo estadual. Pesa também a resistência da população à venda da empresa.

Em sondagem feita pelo Estado, 55% dos entrevistados se disseram contrários à venda da empresa ao setor privado. “Já iniciamos um trabalho de comunicação. (A privatização) vai acontecer, sim, mas pode demorar mais do que o esperado e ter alguns reveses até esse caminho”, disse o governador, em um evento recente.

Na semana passada, o presidente da Assembleia Legislativa mineira, Agostinho Patrus (PV), chegou a declarar à imprensa local que faltam clareza, diálogo e entendimento para que projetos de privatização, como esse da Cemig, consigam ser aprovados.

Numa sinalização da dificuldade que enfrenta, o governador mineiro passou a sinalizar a venda de subsidiárias da Cemig ao longo do primeiro semestre de 2021. Desta maneira, disse, a estatal teria recursos para fazer investimentos necessários ao atendimento elétrico.

Fonte: Ascom Sindieletroo-MG

Fechar Menu