O governo federal tem pressa e vem pressionando o Senado para que o Projeto de Lei 4162/2019, que privatiza a água e o saneamento, seja colocado em votação. Muitos senadores, alinhados com o empresariado privatista, também defendem a votação e aprovação urgente do PL, se aproveitando do caos geral gerado pela pandemia do coronavírus. Se isso acontecer, vai colocar em risco todo o setor de saneamento do país, o que inclui Sergipe, pois acabará, entre outras coisas, com o subsídio cruzado (mecanismo em que os municípios mais ricos financiam, em parte, as obras de saneamento nos mais pobres).

A Federação Nacional dos Urbanitários e seus sindicatos filiados estão intensificando uma campanha via Whatsapp para pedir o voto dos senadores contra o PL 4162/19. O SINDISAN tem feito um trabalho de conscientização da sua base para a importância do convencimento dos três senadores sergipanos.

Portanto, se você receber a mensagem “LINKS PARA ENVIAR MENSAGEM AO WHATSAPP DOS SENADORES DO ESTADO, com a mensagem contra o PL 4162/2019 e a Carta das Entidades solicitando a suspensão da tramitação do projeto. É SÓ CLICAR E ENVIAR – A MENSAGEM JÁ ESTÁ ESCRITA.”, não pense duas vezes: clique nos links e envie as mensagens. Se você já recebeu essa mensagem, não tem importância, repita o procedimento e reforce o envio das mensagens. Quanto mais, melhor!

“Fizemos esse trabalho de chamar a atenção dos companheiros e companheiras da base para o perigo que representa esse PL 4162 e a pressão que estão fazendo para votá-lo, se aproveitando do período de pandemia, em que as pessoas estão desmobilizadas e preocupadas com o vírus. A resposta foi boa e Sergipe hoje é o segundo estado da federação que mais enviou mensagens aos seus senadores. Ficamos atrás apenas do estado de Goiás. Mas vamos intensificar ainda mais esse trabalho, para que não só a base envie as mensagens, mas familiares e amigos também, porque essa é uma questão que interessa a todos, já que saneamento básico e um direito humano universal, segundo a ONU, e não deve ser tratado como simples mercadoria”, explica a dirigente do SINDISAN Iara Nascimento.

“Não podemos deixar que a proposta seja aprovada, sob risco de ver as companhias de saneamento públicas, como a DESO, serem privatizadas e a água e o esgotamento sanitário passarem a ser mercadorias, não direito da sociedade”, completou.

Leia o boletim água quente na integra

 

Fonte: George Washington – Ascom Sindisan

Fechar Menu