Na manhã do dia 15 de março, a direção do Sindieletro participou de Audiência Pública promovida pela Assembleia Legislativa para debater os prejuízos provocados pelo fechamento de localidades da Cemig.

Diante dos impactos negativos que a desativação de serviços traz para os municípios, vários prefeitos e vereadores vieram do interior para a audiência realizada a pedido do Sindieletro. O governo do Estado e a Cemig, por sua vez, se ausentaram do debate.

O coordenador geral do Sindicato, Jefferson Silva, participou da mesa e ressaltou que os sindicatos existem para atender os interesses coletivos. No caso do fechamento das localidades, a atuação do Sindieletro defende direitos da classe trabalhadora e dos consumidores de energia que deixariam de contar o serviço qualificado dos eletricistas da Cemig.

Jefferson ressalta que, apesar do governo do Estado alegar que a Cemig vai reduzir custos com o fechamento das localidades, esses escritórios garantem lucros e trazem desenvolvimento paras as economias locais. “Prova disso é que câmaras e prefeituras estão aqui e se movimentam no Ministério Público e em outros espaços para pressionar a empresa e o governador para que revejam a decisão”.

O coordenador do Sindieletro também destacou que o fechamento de localidades da Cemig também teria sérias implicações para a  saúde e segurança de trabalhadores que atuariam de forma precária no sistema elétrico.

Estado deve explicações

A deputada Beatriz Cerqueira condenou a ausência da estatal na reunião, que considera um importante espaço para debater e propor mudanças. “O Estado precisa prestar contas de seu trabalho e dialogar com a população e não apenas vir à casa legislativa apenas quando tiver vontade”, disse a parlamentar.

A audiência terminou com a decisão de lideranças de intensificar a luta em defesa da Cemig. Como encaminhamento, foi aprovada a elaboração de uma nota de repúdio à ausência de representantes da Cemig na reunião oficial. Também foi aprovada uma solicitação para que a empresa apresente dados detalhados sobre a economia alcançada com a terceirização adotada na empresa nos últimos anos e a meta econômica pretendida com o fechamento das localidades.

Foi aprovado o envio de ofício ao Ministério para que o órgão solicite justificativa da Cemig para o fechamento das localidades e solicitação para a suspender o fechamento de pontos de atendimento até que seja analisado o processo.

Fonte: Ascom Sindieletro-MG

 

Fechar Menu