Na terça-feira (18/12), o presidente do SINDIÁGUA RS Leandro Almeida, o secretário Rogério Ferraz e o engenheiro da Corsan José Homero Finamor estiveram com o procurador-geral do Ministério Público de Contas do Estado, Geraldo Costa da Camino.

Na reunião no MPC do Rio Grande do Sul, os dirigentes do SINDIÁGUA entregaram ao procurador documentos que dizem respeito as PPPs e a situação da cidade de Feliz, que se tornou ainda mais grave depois que o diretor de Operações da Corsan atribuiu a renúncia de receita à uma suposta má qualidade da água na cidade.

Da Camino também recebeu uma cópia do relatória Técnico de Engenharia que o engenheiro Finamor já havia trazido ao sindicato no final da última semana. O documento de sua autoria denuncia suspeita de irregularidades na gestão de obras na Companhia como perdas de recursos financiados pelo PAC, o Programa de Aceleração do Crescimento do governo federal, perdas de recursos não onerosos ao RS, financiamento de obras desnecessárias, entre outras ações que acarretaram prejuízos nesta gestão.

Na ocasião, o procurador ressaltou que alguns desses apontamentos já foram encaminhados ao seu gabinete pelo SINDIÁGUA.
Além do Ministério Público de Contas do Estado, a presidência da Corsan, a Audit- Auditoria Interna da Corsan e o Conselho de Administração da Corsan receberam as denúncias do nosso sindicato.

Como nos comprometemos, estamos indo em busca de todos os órgãos competentes responsáveis que possam fazer os encaminhamentos necessários e dar a resposta que os trabalhadores da Corsan e os cidadãos gaúchos merecem.

Fonte: Ascom Sindiágua-RS

Fechar Menu