Com mais duas nomeações, o Ministério de Minas e Energia (MME) completou as seis secretarias da pasta. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, anunciou o juiz federal aposentado Alexandre Vidigal de Oliveira para a Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral (SGM) e Ricardo Cyrino para a Secretaria de Energia Elétrica.
O time do segundo escalão do MME está completo, com os nomes anteriormente anunciados: Marisete Dadald Pereira, como secretária-executiva; Bruno Eustáquio de Carvalho, secretário-executivo adjunto, Márcio Félix, secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis; e Reive Barros, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético.

Energia Elétrica

Ricardo Cyrino tem formação em engenharia elétrica pela Universidade Federal de Itajubá, com MBA em energia pela Escola Politécnica (Poli) da Universidade de São Paulo (USP) e em programas de liderança executiva pela University of Virginia e pela Georgetown University, ambas nos Estados Unidos. A experiência do executivo foi desenvolvida em empresas como Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e AES Brasil (Eletropaulo, Sul, Tietê e Uruguaiana) em áreas de gestão comercial, desenvolvimento de negócios, relações institucionais, assuntos regulatórios para distribuição, geração e comercialização.
À frente da secretaria, Cyrino vai coordenar, orientar e controlar as ações do MME relacionadas às políticas do setor de energia elétrica, de forma a garantir o suprimento a todos os consumidores do território nacional, com desempenho adequado da operação do sistema elétrico.

Paulo Pedrosa voltará a representar grandes consumidores de energia

O ex-secretário executivo do MME (Paulo Pedrosa voltará para a presidência da Abrace (Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres). O engenheiro assume o cargo em 1º de fevereiro.  Pedrosa substitui Edvaldo Santana, que assumirá a vice presidência de Estratégia e Novos Negócios da Electra Energy. (com informações: Correio Braziliense e Poder 360)

Leia mais:
Wilson Pinto Jr. afirma em entrevista que moldes para privatização da Eletrobras ainda não foram definidos

Urbanitários na resistência: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

 

Fechar Menu