Na quarta-feira (25/4) especialistas, parlamentares e dirigentes sindicais participaram de mais uma audiência pública para debater o PL 9463/18, desta vez para tratar das atividades de pesquisa e desenvolvimento do setor elétrico e do Cepel.

Para o representante do SENAI/CIMATEC, Miguel Andrade Filho, o Brasil está indo na contramão do mundo. Ele destacou que a Alemanha é detentora de 80 centros de pesquisa e desenvolvimento, dentro e fora do país.  No sentido contrário, o governo pretende desmantelar o Centro de Pesquisas de Energia Elétrica – Cepel em quatro anos.

O diretor-geral do Cepel, Marcio Szechtman, apresentou uma proposta alternativa ao texto original do PL 9463/18. A proposição requer a íntegra manutenção à principal instituição de pesquisa e desenvolvimento do país no segmento de energia elétrica. Além disso, propõe “um arranjo institucional que garanta a permanência do Cepel como entidade colaboradora do sistema elétrico nacional”.

Agamenon Oliveira, Pesquisador do CEPEL e Professor da Escola Politécnica da UFRJ, destacou que a entrada do Centro de Pesquisa no setor elétrico nacional trouxe resultados significativos, com uma economia substancial para a indústria de equipamentos elétricos. “Estimativas feitas pela FGV e pela própria Eletrobras dão conta que 50 milhões de dólares foram economizados em dez anos pelo setor elétrico”, ressaltou Oliveira. Ele questionou ainda, “qual vai ser o prejuízo se o Cepel desaparecer?

O engenheiro e representante do STIU-DF, Ikaro Chaves, disse que a área de pesquisa e desenvolvimento da Eletrobras não se restringe ao Cepel. “Há uma rede de laboratórios e centros de pesquisa em todo o país. Ao todo, a estatal tem 98 laboratórios”.

Ele lembrou que a Telebrás, privatizada na década de 90, mantinha um Centro Tecnológico responsável por pesquisas e produção de equipamentos com tecnologia de ponta, hoje serve apenas para atestar material estrangeiro. “É preciso manter o Cepel e a Eletrobras públicos para que a gente consiga elevar o nível de soberania deste país”, concluiu o engenheiro.

O Cepel conta com um quadro altamente qualificado, incluindo uma equipe multidisciplinar de pesquisadores e técnicos. Possui 34 laboratórios equipados com instalações para a realização de pesquisa experimental e ensaios normatizados e especiais, sendo algumas delas únicas na América Latina.

A Unidade Fundão, localizada na Cidade Universitária do Rio de Janeiro, abriga 24 desses laboratórios; os demais estão na Unidade de Adrianópolis, a 40 quilômetros. Suas instalações abrangem, entre outras, as seguintes áreas: alta tensão, alta corrente, alta potência, medição e calibração, materiais, análise química, eficiência energética, supercondutividade, células a combustível, de monitoramento e de diagnóstico, de computação intensiva, de supervisão e controle. (fonte: Stiu-DF)

Fechar Menu