O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas na Paraíba (Stiupb), Wilton Maia Velez, afirmou nesta quinta-feira, 21, que a categoria urbanitária paraibana está muito grata ao deputado federal Gervásio Maia (PSB), que vai integrar a Frente Parlamentar em Defesa da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf). O Anúncio foi feito pelo parlamentar nesta quinta, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Para Wilton Maia, o envolvimento do deputado nesta Frente vai fortalecer sobremaneira a luta dos trabalhadores para combater a privatização da Chesf e a consequente entrega da administração das águas do Rio São Francisco à iniciativa privada.

De acordo com Gervásio, a Frente pretende mobilizar a sociedade e o Congresso Nacional contra a privatização do sistema elétrico brasileiro e defender o Rio São Francisco. “Esperamos fazer uma grande mobilização em defesa da Chesf e do setor elétrico brasileiro. A privatização da Chesf põe em risco o projeto do Rio São Francisco, que tem função social e econômica para o Nordeste”, afirmou Gervásio.

O parlamentar ressaltou ainda que, com a privatização da companhia, o Rio São Francisco vai ficar praticamente sob responsabilidade privada. “É preciso ampliar esse debate, não podemos entregar a gestão do São Francisco ao capital privado”, ponderou Gervásio Maia. O deputado federal destacou ainda que a  causa da Chesf é uma bandeira que defende desde à época em que atuava na Assembleia Legislativa da Paraíba. “Essa luta pela não privatização da Chesf começou em 2017, quando fomos procurados pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba. Em 2018, conseguimos a suspensão da negociação da privatização. Agora, na Câmara Federal, vamos continuar defendendo  a companhia, que é um patrimônio do nosso país”, afirmou.

A Companhia Hidroelétrica do São Francisco representa 10% da capacidade de energia instalada no país e possui mais de 4500 trabalhadores em todo o Nordeste. O plano de trabalho da frente parlamentar prevê realização de audiências públicas, reuniões com representantes do governo federal, especialistas, técnicos e trabalhadores do setor elétrico, além de visitas técnicas às instalações da Chesf.

Fonte: Ascom STIUPB

Fechar Menu