O SINDÁGUA reuniu-se no final da tarde desta terça feira com o novo presidente da Copasa, Carlos Eduardo Tavares de Castro.

O novo presidente da Copasa, Carlos Eduardo Tavares de Castro, se comprometeu com esforço de reiniciarmos as negociações do Acordo Coletivo da categoria na próxima semana. Em reunião com o SINDÁGUA, na terça-feira, Carlos Eduardo afirmou que o compromisso da diretoria será a eficiência e competitividade.

Ressaltou que “a empresa perseguirá sempre o lucro, mas com foco no reinvestimento na empresa nos próximos anos, revertendo a política de repasses vultosos dos recursos para o governo. “Vamos sanar o que deixou de ser investido, para atender o consumidor na ponta, que poderá fazer comparações da qualidade de serviços com demais prestadores”. Segundo ele ainda, serão buscados “resultados de produtividade, redistribuição de recursos, para beneficiar a atuação da companhia”.

Anunciou também que será promovida uma reestruturação estatutária da Copasa, diminuindo para cinco o número de diretorias e que ele não acumulará a Diretoria de Gestão Corporativa, que será desempenhada por outro diretor.

O presidente do SINDÁGUA, José Maria Santos, fez longa exposição do trabalho desenvolvido pelo Sindicato, não apenas em defesa de condições de trabalho que garantam a qualidade dos serviços da empresa, como também para que a Copasa se mantenha como uma das mais importantes prestadoras de serviço de saneamento do País. Ao ser lembrado da qualidade técnica dos trabalhadores da Copasa, o novo presidente da empresa afirmou que reconhece esta qualidade, que encontrou um quadro técnico de altíssima qualidade  e que buscará a sinergia de ações para garantir o maior desenvolvimento da empresa com a prioridade de reinvestimentos.

NEGOCIAÇÃO DO ACORDO COLETIVO

Ao ser lembrado que passamos já quase três meses da data-base da categoria e que os trabalhadores manifestam ansiedade pelo represamento dos salários, Carlos Eduardo informou que priorizou visitar as unidades da empresa neste primeiro momento, mas que já conversou com os membros da comissão de negociação já indicados para discutir o acordo coletivo. Assegurou não ter qualquer “ideia de protelar as negociações, prevendo discussão com a nova diretoria, para que possamos avançar e convergir em uma proposta de acordo coletivo”.

Fonte: Ascom Sindágua-MG

Fechar Menu