Na sexta-feira, 16, Sindicato e Celpa Equatorial tiveram a segunda reunião da PLR 2021, momento que também debatemos as metas da PLR 2020, estabelecidas pela empresa e apresentadas na primeira reunião, ocorrida no dia 7/10. Ao analisar as metas, a entidade sindical verificou que são muito acima das praticadas em 2019, momento em que não houve pandemia e seus efeitos.

Ebitda – A empresa quer aumentar esse indicador em 28%, passando de R$ 902 milhões (2019) para R$ 1.161 bilhão, ou seja, R$ 260 milhões a mais. Esse alcance poderá ficar comprometido, devido à pandemia que atingiu consumo de várias classes de renda (comercial e industrial).

Índice de arrecadação – A empresa propôs um IAR de 98,05%. Outra meta extremamente acima das já praticadas, ainda mais se considerarmos a proibição de cortes por três meses, também por conta da pandemia, episódio inexistente em 2019. Ressalta-se que o IAR do primeiro semestre foi de somente 90,99%.

A comissão do Sindicato ponderou essas questões, mas os representantes da empresa se mantiveram intransigentes.

PLR 2021 – Sobre a PLR 2021, mais uma vez a empresa propõe alterações no fator absenteísmo. Ela quer incluir faltas de meio expediente e atrasos.

Outra vez a proposta da Celpa Equatorial veio no sentido de tentar incluir a discussão da PLR na data-base. Trata-se de uma tentativa de usar a PLR como instrumento de chantagem para deixar o ACT refém do acordo da PLR.

Outra maldade foi a proposta de repetir o que aconteceu este ano, mudando a data limite de pagamento de 31 de março para 31 de maio.

Nova reunião acontecerá na quarta-feira, 21.

Fonte: Ascom STIUPA

Fechar Menu