30/09/2015
CÂMARA MUNICIPAL ADIA VOTAÇÃO DE PROJETO DE PRIVATIZAÇÃO DA AGESPISA

por: Sintepi

O projeto que prevê a privatização da Agespisa foi entregue à Câmara Municipal de Teresina, que colocou o assunto em pauta na manhã desta quarta-feira (30). A diretoria do Sindicato dos Urbanitários, acompanhada de servidores da empresa, esteve presente na sessão.

O vereador Ântonio José Lira falou da sua preocupação com a questão do aumento da tarifa, caso o projeto venha a ser aprovado. “Em outros municipios onde projetos semelhantes a este foram colocados em prática vemos o aumento exorbitante que aconteceu nas tarifas, tanto social, como normal. E o senhor Herbert Buenos Aires, presidente do Instituto, vem à imprensa mentir para a população que isto não acontecerá”, disse o vereador.

O vereador Ferreira propôs aos demais membros da casa uma audiência pública para que o projeto seja apresentado para a socidade, trabalhadores e vereadores, adiando assim a votação do projeto. O encaminhamento foi aprovado por unanimidade. Esta foi mais uma batalha ganha pela garra e força dos trabalhadores que irão partir para ganhar a guerra!

 

 

30/09/2015

Coletivo repudia a premiação de Alckmin

por: Coletivo de Luta pela Água

O Coletivo de Luta pela Água repudiou firmemente a premiação do Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pela “gestão” dos recursos hídricos e saneamento básico, por indicação de um companheiro de partido.

Confira o texto abaixo:

NOTA DE REPÚDIO

Conferir ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o Premio Lucio Costa de Mobilidade, Saneamento e Habitação” em virtude do trabalho desenvolvido à frente da Sabesp e da Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo” é um profundo desrespeito à população da Região Metropolitana de São Paulo e de muitas outras cidades do Estado que diariamente e por longas horas se veem privados do acesso ao bem mais primordial para a vida que é a água.

Faltou bom senso à Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara de Deputados ao premiar o principal responsável pela maior crise hídrica pela qual já passou o estado de São Paulo conforme análise da Agência Nacional de Águas, do Tribunal de Contas do Estado, do Ministério Público e de outros organismos que apontaram que havia sólidos indícios de uma forte estiagem – que se repete a cada década e que faltou planejamento e ação ao governo do Estado para minimizar a crise e minorar o sofrimento das pessoas, especialmente daquelas que vivem nos pontos mais altos e distantes nas periferias e que chegam a ficar vários dias seguidos sem água.

Perguntamos aos deputados que selecionaram o governador Geraldo Alckmin para receber este prêmio pela gestão do saneamento e dos recursos hídricos se cabe a honraria quando a Sabesp perde por vazamentos um em cada três litros de água potável produzida? Se os rios estão poluídos pelo lançamento de esgoto sem tratamento em quantidade que corresponde a quase metade do esgoto gerado na grande São Paulo? Por não ter executado as obras previstas pelo próprio governo em diversos planos de abastecimento? Por realizar obras emergenciais de interligação com rios que não tem água como o Guaió desperdiçando dinheiro público? Por fazê-las sem o devido licenciamento ambiental, degradando áreas de proteção de mananciais e para justificar a ilegalidade declarando situação de criticidade de última hora quando desde 2013 a sociedade pede que se diga a verdade sobre a crise? Por deixar de apresentar um plano de contingência – “papelório inútil” nas palavras do governador – para enfrentar a crise, muitas vezes prometido e sempre adiado? Por deixar de fazer os investimentos necessários para privilegiar o pagamento de dividendos aos acionistas privados e ao próprio Estado, que também não reverteu os recursos em serviços de saneamento?

A premiação de Geraldo Alckmin é uma afronta à memória do grande arquiteto e urbanista Lúcio Costa, autor do projeto do Plano Piloto de Brasília. A infeliz indicação do deputado federal João Paulo Papa (PSDB-SP), ex alto funcionário da Sabesp e a sua aprovação pela Comissão de Desenvolvimento Urbano precisa de revisão urgente. Não é possível distorcer a realidade de forma que algo se transforme em seu oposto.

Reafirmamos que a água é um direito humano e não uma mercadoria, como tem sido vista pelos últimos governos paulistas o que resultou nesta grave crise que tem afetado profundamente a vida dos paulistas.

Coletivo de Luta pela Água

 

 

28/09/2015

Negociação para o acordo na Cerb continua. Governador mantém proposta e Sindicato faz reivindicações

por: Sindae-BA

Dentro da estratégia de encontrar uma saída para o conflito, o Sindicato participou de uma demorada reunião com o governador Rui Costa, na última terça (22), e nesta segunda (28) terá um encontro com o presidente da Cerb, Marcus Bulhões, na busca pelo acordo coletivo de trabalho deste ano. A expectativa é de que a empresa apresente mais detalhes da proposta de acordo no encontro desta segunda.

O governador manteve a proposta anteriormente feita para o acordo coletivo, acrescida de dois pontos polêmicos, mas já conhecidos por todos (as): a migração para o Planserv e mudanças no Prêmio Aposentadoria. O Sindicato pediu 15 dias para discutir a questão com a categoria para, então, voltar a negociar e dar uma decisão, mas também reivindicou que a categoria tenha ingresso no plano habitacional dos servidores e que possa eleger um (uma) representante para o Conselho de Administração da empresa.

A proposta do governo para as cláusulas econômicas não mudou: 8,17% divididos em duas parcelas, sendo 4,5% retroativos a maio e 3,51% em novembro, sem retroatividade. O auxílio alimentação passa de R$ 143,00 para R$ 150,00 e será incorporado ao salário. Quanto às diárias, ficaria aguardando projeto que tramita na Assembleia Legislativa do Estado, estabelecendo novos valores para o serviço público em geral.

Planserv – Rui Costa disse que a migração para o Planserv deve ser imediata e em caráter coletivo, mantendo a oferta de R$ 314,00 incorporados ao salário de cada empregado (a). Anunciou que em breve os (as) trabalhadores (as) receberão uma carta com diversas simulações explicativas sobre a mudança para o Planserv e os benefícios que essa migração trará. Também na carta deve tratar da questão dos (das) agregados (as).

Prêmio Aposentadoria – Depois de longa exposição de motivos sobre as dificuldades econômicas do estado, destacando uma queda drástica de arrecadação, o governador afirmou que seu objetivo é cortar gastos onde for possível e que, com isso, pretende extinguir o Prêmio Aposentadoria. Todo o cenário econômico traçado por ele deixa antever uma campanha salarial das mais difíceis no ano que vem, o que mostra a necessidade da categoria, desde já, se manter alerta e mobilizada.

O Sindicato fez a defesa dessa importante conquista e, como alternativa, propôs a manutenção da cláusula do benefício do Prêmio Aposentadoria com uma regra de transição. A proposta é de que o (a) trabalhador (a) já aposentado (a) e que já recebeu o prêmio volte a receber o valor equivalente ao tempo em que continuou trabalhando e, ao receber essa parcela, possa ser desligado com direito à multa de 40% do FGTS. Propôs, ainda, que quem ainda não se aposentou possa ter direito ao prêmio até completar 69 anos de idade. O governador disse que vai estudar a proposta e depois iria dar uma resposta.

Caso haja acordo, este seria levado para o dissídio coletivo que aguarda julgamento no Tribunal Regional do Trabalho, evitando assim que a palavra final fique com a justiça. Vale salientar que, até o fechamento desta edição, o TRT ainda não havia marcado julgamento do dissídio.

 

 

 

23/09/2015

Lançamento da Frente em Defesa do Patrimônio do Povo Gaúcho em Gravataí

por: Sindiágua-RS

 

A prefeitura da cidade metropolitana publicou, no dia 29 de julho, no Diário Oficial do município e da União, o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para dar início ao processo de concessão do serviço de saneamento em Gravataí.

Vale lembrar que por pertencer a Região Metropolitana de Porto Alegre, o Estatuto da Metrópole deve ser respeitado, o que deixa o prefeito do município, Marco Alba, em uma situação jurídica a ser amplamente debatida.

Tendo como exemplo a privatização em Uruguaiana, e com o prefeito à época, Sanchotene Felice, visitando Gravataí e explicando todos os detalhes para Alba, começamos a trabalhar para que o município não consiga êxito em seu objetivo de privatizar o saneamento. Já participamos, em conjunto com o presidente da Corsan, de audiência pública que debateu o contrato de programa entre a Companhia e prefeitura, e seguimos trabalhando no município com o objetivo de que o tema seja amplamente debatido pela população.

Nesta quinta-feira (24), o SINDIÁGUA e várias entidades sociais da cidade realizarão o Lançamento da Frente em Defesa do Patrimônio do Povo Gaúcho em Gravataí. A mobilização visa alertar a população ao interesse do Governo do Estado em privatizar as estatais gaúchas, trazendo prejuízo aos serviços que são prestados atualmente pelos órgãos públicos.

 

Lançamento da Frente em Defesa do Patrimônio do Povo Gaúcho em Gravataí

DIA: 24 de setembro de 2015 (quinta-feira)

HORÁRIO: 18 horas

LOCAL: Paróquia Nossa Senhora dos Anjos

End.: Rua Conego Pedro Wagner, no 717 – Gravataí, RS.

 

18/09/2015

Trabalhadores da Celpa grevam para garantir a integridade física dos terceirizados

por: STIUPA

Os trabalhadores da Celpa Equatorial estão em greve desde o dia 16 de setembro. O objetivo é obter da Celpa melhores condições de trabalho, em especial nas áreas operacionais da empresa, que desde maio deste ano vem implementando procedimentos operacionais de alto risco, como fechamento/abertura de chave faca com sistema a plena carga, o que já causou, somente este ano, quatro acidentes fatais, fora os trabalhadores que foram mutilados em Peixe-boi, Alenquer e Santarém, perdendo dedos e braços.
O mais recente acidente fatal ocorreu em 3 de setembro, às 23h, vitimando Diogo Avelino, da Endicon, em Concórdia do Pará. Diogo tentava fechar uma chave faca com sistema a plena carga e foi atingindo com um arco voltaico e caiu da escada. Esse é o resultado da perda de autonomia dos despachantes da Distribuição, que antes decidiam a melhor forma de intervir no sistema, garantindo a segurança das equipes.
Hoje essa autonomia não existe mais. Atualmente, até para dar uma piscada no alimentador, os despachantes precisam de autorização, gerando situações inaceitáveis, como o fechamento da chave faca no alimentador MT1, em Marituba, envolvendo o eletricista Patric, da Endicon, que ficou segurando a vara de manobra por mais de 30 minutos, até que fosse dada autorização para a retirada do alimentador, o que não aconteceu. Esse trabalhador acabou sendo ajudado por outra equipe, que acabou salvando a vida dele.
Na obstinação pelo lucro e pela redução dos indicadores DEC/FEC , a Celpa Equatorial faz com que a vida dos trabalhadores fiquem em segundo plano. O pior é que, quando acontece um acidente fatal, quem responde pelo processo criminal acaba sendo os trabalhadores do despacho.
Mas a culpa é da empresa que não cumpre a NR 10 e aumenta cada vez mais a sobrecarga de trabalho. A direção da Celpa centralizou as mesas de despacho em Belém e reduziu o efetivo de trabalhadores tanto do COD, como do COS. Para completar, a empresa não autoriza virada de turnos quando da falta de trabalhadores. Por tudo isso, os trabalhadores decidiram em assembleia realizada no dia 10/9 cruzar os braços, para proteger a vida de quem está na ponta.

 

 

17/09/2015

Suspensa a greve dos trabalhadores da Cesan

por: Sindaema-ES

A maioria da categoria aprovou a suspensão da greve. Foram 29 dias de paralisação é muita luta. Foi histórica a adesão em massa dos trabalhadores que demonstraram responsabilidade, maturidade e respeito com as diferentes opiniões e posições. Foi bonito de ver a espontaneidade e união de cada um. Saímos fortalecidos,mostrando para empresa que não aceitamos ser desrespeitados. Gratidão e Parabéns a todos,” agradeceu o presidente do Sindaema Leopoldino Batista.

A categoria decidiu também não aceitar a proposta da Cesan de compensação dos dias parados, preferiu aguardar a decisão da Justiça do Trabalho.

 

 

Fechar Menu