O Coletivo Nacional dos Eletricitários – CNE, manifesta total solidariedade aos trabalhadores do Grupo CEEE – Companhia Estadual de Energia Elétrica, estatal gaúcha de distribuição, geração e transmissão de energia.
No pior momento da pandemia no estado do Rio Grande do Sul, o Governador tucano, Eduardo Leite (PSDB), se recusou a renovar o Acordo Coletivo de Trabalho em vigência e deixa cerca de 3.500 trabalhadores e trabalhadoras sem ACT.

O impacto dessa medida arbitrária e descabida resulta no não pagamento de vales refeição/alimentação e no corte do plano de saúde da categoria. Tais cortes repercutem diretamente na saúde, na qualidade da alimentação e na
dignidade de todos os trabalhadores e trabalhadoras e suas famílias, justo no momento em que todos estão expostos à pandemia do Corona Vírus, precisando manter boa imunidade e ter a garantia de uma rede de assistência em saúde.
Mais uma vez, ficam nítidas a estratégia e a prática dos governos Leite e Bolsonaro, que fomentam a precarização e destruição do patrimônio público a todo custo e, não bastasse, colocam vidas em risco, negando até assistência médica, auxílio-alimentação e, principalmente, dignidade para quem trabalha.

O Governador Eduardo Leite irá doar um patrimônio da sociedade gaúcha por 50 mil reais e perdoará uma dívida bilionária de ICMS, assumida de maneira proposital, em benefício da iniciativa privada. A empresa, que já fora reconhecida como umas das melhores distribuidoras de energia do Brasil e figura constantemente em rankings elevados de desempenho nas áreas de Geração e Transmissão, hoje enfrenta um cenário de caos e abandono.
Desejamos, aos trabalhadores e trabalhadoras do Grupo CEEE, força para a encarar esse cenário de desrespeito jamais visto.
Nossa solidariedade aos trabalhadores e suas famílias.

Fechar Menu