Nesta quinta-feira (19 de novembro, às 19h, a live “Apagão no Amapá: exemplo do porquê privatização não dá certo” irá debater problemas que envolvem as privatizações de empresas do setor público, como precarização dos serviços, aumento de tarifas e desemprego, a partir do exemplo do ocorre no estado do Amapá, que sofre com o apagão há duas semanas.

“O que está acontecendo no Amapá pode se repetir em todo o país e não apenas no setor elétrico. As privatizações representam descaso e desrespeito com a povo, além da destruição de seu patrimônio. Não queremos que os setores de energia, saneamento, bancário, comunicação e tantos outros venham a sofrer ‘apagões’. É preciso dar um basta para às privatizações”, avalia Pedro Blois, presidente da FNU – Federação Nacional dos Urbanitários.

O debate terá a participação de: Marcelo Fiorio – Direção Nacional da CUT; Rogério Pantoja – Direção CUT-AP; Jairo Nogueira – presidente da CUT Minas; Paulo de Tarso – presidente da CNU – Confederação Nacional dos Urbanitários;  Pedro Blois – presidente da FNU, Denise Motta – secretária sub-regional da ISP – Internacional de Serviços Públicos; Jedilson de Oliveira – presidente do Stiu-AP – Sindicatos dos Urbanitários do Amapá; Jefferson Silva – coordenador geral do Sindieletro-MG – Sindicatos dos Eletricitários de Minas Gerais.

A live terá transmissão pelas redes sociais da FNU – Facebook e Youtube (@fnucut).

Amapá sofreu novo apagão nesta terça-feira
Na noite desta terça-feira (17/11), o estado do Amapá sofreu novo apagão e as entidades que representam os urbanitários – FNU e CNU – exigem apuração do ocorrido:
“A FNU e a CNU se solidarizam mais uma vez com o povo do Amapá e exigem das autoridades competentes que seja feita apuração urgente e rigorosa do ocorrido, que se estabeleça solução definitiva e responsabilização dos envolvidos. O povo do Amapá não pode viver com um serviço essencial precarizado, resultado da privatização de seu setor elétrico”, afirma o presidente da FNU, Pedro Blois.

Fechar Menu