A Eletrobras informou em novo comunicado ao mercado que o leilão da Companhia Energética de Alagoas (Ceal) foi adiado para o dia 28 de dezembro. O certame estava marcado para esta quarta-feira (19/12).

Pelo novo cronograma, a nova data de entrega dos documentos será 27 de dezembro. Já a sessão pública para a abertura das propostas será realizadas às 17h do dia 28/12.

A Eletrobras e o BNDES, responsável pela organização do certame, não informaram os motivos das novas datas.

A Ceal estava prevista para ser leiloada no início do segundo semestre, mas a privatização da companhia estava impedida por uma liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski.

Na última sexta-feira 14/12), o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Félix, disse esperar mais de um interessado pela distribuidora alagoana, destaca informou o jornal Valor Online.

No dia 10 de dezembro, foi realizado o leilão da Amazonas Energia, vencido pelo Consórcio Oliveira Energia Atem – o único a apresentar proposta e arrematou a distribuidora sem oferecer deságio.

O leilão também ocorreu após uma série de adiamentos e questionamentos na Justiça. Uma decisão do desembargador Marcos de Oliveira Cavalcante, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 1ª região, chegou a suspender os efeitos do leilão. Mas, na semana passada, o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), João Batista Brito Pereira, validou a venda e também a manutenção do leilão da Ceal.

Em julho foi vendida a Companhia Energética do Piauí (Cepisa), e em agosto foram vendidas Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron) e Boa Vista Energia, em Roraima. Se o leilão ocorrer, a Ceal será a última das seis distribuidoras da estatal a ser colocada à venda. (com informações: G1 e agências)

Leia:
TST mantém válido leilão da Amazonas Energia e jurídico dos eletricitários já prepara medidas contra essa ilegalidade

Leia também o Fato Relevante emitido pela Eletrobras:

Urbanitários em luta: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

 

Fechar Menu