Atualização em 17/1/19: a Assessoria de Comunicação da Eletronuclear enviou nota de esclarecimento sobre essa matéria. Leia a nota referente a matéria abaixo: Nota de esclarecimento da Eletronuclear sobre promoção de assistente da diretoria

Condenado em 2017 pelo Tribunal de Contas da União (TCU) quando era gerente de Planejamento e Orçamento na Eletronuclear, Roberto Cardoso de Andrade Travassos em vez de ser demitido foi promovido.

A promoção veio do governo Bolsonaro, que nomeou recentemente Travassos a assessor da Diretoria Técnica responsável pelo projeto Angra 3.

De acordo com o TCU, Travassos liberou de forma irregular R$ 4,5 milhões para pagar obra superfaturada na Usina Nuclear de Angra 3. As obras até hoje estão paralisadas devido às denúncias de corrupção.

Segundo matéria do jornal O Dia, publicada no sábado 12, o aval para a promoção de Travassos veio Leonam dos Santos Guimarães, atual presidente da Eletronuclear, que está sob o comando do Ministério de Minas e Energia. (fonte: Stiu-DF)

Leia também: Nota de esclarecimento da Eletronuclear sobre promoção de assistente da diretoria

Leia também:
Eletrobras é uma empresa lucrativa: privatizar por quê?

Urbanitários na resistência: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

 

Fechar Menu