A notícia de que o governador Romeu Zema vai encaminhar, em abril, à Assembleia Legislativa, um pacotaço de projetos contra os trabalhadores e o povo mineiro, incluindo a privatização da Cemig e de outras estatais mineiras, não caiu como uma bomba sobre o Sindieletro. O Sindicato está atento e sabe, desde  que o governador foi eleito, que seu governo vai insistir na privatição. Mas a categoria eletricitária, historicamente, vai à luta. Nossa insistência é pela resistência. União e força, companheiros!

O governador Zema anunciou que em abril apresentará um pacotaço para privatizar a Cemig e outras estatais e congelar salários dos servidores estaduais. Privatizar, impor perdas de direitos aos servidores e penalizar a população são decisões exigidas pelo governo federal de Jair Bolsonaro para negociar a dívida do Estado de Minas Gerais com a União.

O Sindieletro não vai  assistir essa destruição de camarote e por isso estamos nas ruas desde o primeiro dia do governo Zema, alertando que vender uma empresa pública eficiente é um péssimo negócio para os consumidores, que perderiam em termos de confiabilidade do sistema elétrico e da qualidade do serviço prestado.

A privatização também seria terrível para o Estado que perderia uma empresa altamente lucrativa. Já alertamos autoridades e a imprensa que a entrega da Cemig para o capital financeiro comprometeria a contribuição que a estatal dá há mais de 60 anos para o desenvolvimento social do Estado. Hoje, a Cemig atende 774 municípios e mais de 5 mil localidades, o que, segundo o IBGE, representa o maior índice de atendimento a consumidores de baixa renda dentre as distribuidoras do Brasil (cerca de 2,4 milhões). Haveria muitos prejuízos também na área ambiental, já que a Cemig mantém o monitoramento de sedimentos e risco das 86 Usinas Hidrelétricas e das Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) que opera.

Não vai ser às custas da classe trabalhadora e da população que o Governo Zema vai privatizar a Cemig, para cumprir a agenda perversa imposta pelo governo federal e negociar a dívida do Estado,  enquanto  especuladores e devedores são poupados pelos governos.

À LUTA, COMPANHEIROS!

Convocamos a categoria eletricitária para lutar, lutar e lutar! No dia 27 de março, quarta-feira, será realizada grande plenária Nacional de Mobilização na sede do Conselho Regional de Engenharia (CREA MG), para discutir alternativas para o desenvolvimento do Estado, valorizando nosso patrimônio. O encontro será na Rua Álvares Cabral, 1.600, 6º andar, no bairro Santo Agostinho, em Belo Horizonte, a partir das 19h. Vamos juntos repetir aquela resistência corajosa que em 2001 impediu a venda da Cemig e, em 2014, a da Gasmig.

Nossa luta é urgente e importante para os eletricitários, para a Cemig, para Minas Gerais e  o Brasil!

Fonte: Ascom Sindieletro-MG

Fechar Menu