Em reportagem especial publicada nesta quarta-feira (25/4), o jornal O Globo afirma que, se não venderem rapidamente a Eletrobras, a empresa deixará de investir R$ 50 bilhões nos próximos cinco anos. No entanto, no governo da presidente deposta Dilma Rousseff, o Brasil viveu o maior ciclo de investimentos em energia desde o governo militar, com a empresa em mãos estatais.

Abaixo, um trecho da “peça de terrorismo” da Globo:

A privatização da Eletrobras, que enfrenta resistências no Congresso, não é prioridade apenas para o governo — que vê na operação uma forma de reduzir o rombo nas contas públicas. O que está em jogo é o próprio papel da empresa, maior geradora de energia da América Latina, e sua capacidade de investir o suficiente para assegurar a expansão da oferta de energia no país, afirmam fontes a par das negociações. Nos cálculos de fontes envolvidas no processo, se a Eletrobras não for privatizada, continuará a acumular perdas que podem chegar a R$ 5 bilhões somente neste ano — considerando apenas operações problemáticas, como as distribuidoras de energia deficitárias e o custo das obras paradas de Angra 3. Um quadro que reduz ainda mais a já limitada capacidade de investimento. (fonte: Brasil 247)

Fechar Menu