Com documento concedido em junho, a Federação Interestadual dos Urbanitários do Sudeste, que abrange trabalhadores e trabalhadoras do ramo nos estados de São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, já prepara Congresso Extraordinário

Depois de mais de dois anos e meio de organização e luta, finalmente, a Fruse (Federação Interestadual dos Urbanitários do Sudeste)entidade que reúne trabalhadores e trabalhadoras do ramo em nos estados de São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, conquistou formalmente o registro sindical no último dia 24 de junho. Concedido pelo coordenador-geral de Registro Sindical, atualmente ligado ao Ministério da Economia, o despacho garante a representação unificada de todos os trabalhadores urbanitários da região sudeste na Federação.

O documento ressalta que cabe à Fruse, a “coordenação das entidades a ela filiadas que tenham a representação da categoria dos trabalhadores (as) nas indústrias urbanas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, de fontes hidrelétrica, termelétrica, nuclear e fontes alternativas, inclusive nas fases de projetos, construção, operação, manutenção, comercialização, serviços de eletrificação, saneamento e distribuição de água; gás canalizado; captação, purificação, distribuição e comercialização de água; em serviços de esgotamento sanitário, em planejamento, controle e preservação do meio ambiente; serviços de planejamento e controle de recursos hídricos; coleta, afastamento, transporte, tratamento e destinação final de esgoto, resíduos sólidos urbanos e industriais, bem como, demais trabalhadores (as), prestadores de serviços em instituições e órgãos que por similitude se enquadrem no ramo de produção das indústrias urbanas, doravante denominados simplesmente de Urbanitários, nos termos do inciso IV, do art. 21, da Portaria 17.593/2020”.

Fundação e filiação à CUT

Foi em 2018, mais exatamente no dia 14 setembro, que a Fruse foi fundada durante assembleia no auditório do Sinergia CUT, em Campinas (SP), contando com a presença também de lideranças sindicais convidadas vindas de vários estados do Brasil. Nesse mesmo dia, delegados e delegadas, eleitos em várias assembleias de base, decidiram, ao final, aprovar a filiação da nova Federação à CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Naquela época, a Fruse já contava com uma base territorial de 72 mil trabalhadores, sendo 49 mil trabalhadores filiados a seis entidades – Sinergia Campinas, SindPrudente, Sindae, Sindicato dos Eletricitários de Niterói (Stieen), Sindicato dos Trabalhadores em Energia e Gás (Sinergia ES) e  Sindicato dos Trabalhadores em Saneamento do norte e nordeste do estado do Rio de Janeiro.

Nascia então mais uma importante iniciativa para a consolidação da CNU (Confederação Nacional dos Urbanitários), para reforçar as lutas junto às já criadas Frune (Federação Nacional dos Urbanitários do Nordeste) e a Furcen (Federação dos Urbanitários das Regiões Centro-Oeste e Norte). A construção das Federações Regionais foi decidida durante o 20º Congresso da FNU (Federação Nacional dos Urbanitários), paralelo ao 1º Congresso da CNU, realizados em agosto de 2015, em Curitiba (PR).

Unidade nacional e filiação à CNU

Já em janeiro 2020, durante o 10º ENU (Encontro Nacional dos Urbanitários), realizado em Salvador (BA), a Fruse encaminhou sua filiação à CNU (Confederação Nacional dos Urbanitários) em um ato simbólico que fortaleceu a organização e a luta dos urbanitários em nível nacional.

Na oportunidade, o presidente da CNU, Paulo de Tarso, destacou a importância da filiação da nova Federação não só pelo aspecto político, mas pela grande representatividade da base da entidade.

Para Marcelo Fiorio, dirigente do Sinergia CUT e presidente da Fruse, a filiação foi importante pela unidade para fortalecer o movimento sindical e, em especial, os urbanitários nacionalmente. “Nossa luta e organização sai fortalecida para os desafios que temos pela frente”, salientou ao entregar a carta de filiação ao presidente da CNU.

Congresso Extraordinário na pauta

Agora, após a concessão do registro sindical, a diretoria provisória da Fruse, formada por dez dirigentes, fará a eleição de uma diretoria definitiva, com 26 representantes, a partir da realização de um Congresso Extraordinário. A data deve ser definida em reunião ampliada da direção, que acontece no dia 13 de julho próximo, contando também com a participação dos presidentes dos sindicatos filiados à Fruse.

Para Fiorio, o momento é de “consolidar a direção da Federação, elegendo dirigentes para desenvolverem as diversas políticas setoriais, principalmente de energia, gás, saneamento e meio-ambiente na região Sudeste, bem como as transversais, como a de mulheres e de combate ao racismo, contribuindo para o fortalecimento e organização da luta dos urbanitários”.

Por Lílian Parise- Sinergia-CUT – (https://www.sinergiaspcut.com.br/2021/07/08/fruse-cut-conquista-o-registro-sindical-definitivo/)

Fechar Menu