Os urbanitários estão juntos nessa luta contra a privatização do patrimônio do povo brasileiro!
Não à privatização da Petrobras e da Eletrobras!

Veja a relação dos atos marcados no final desta página.

As frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo convocam a população a participar de um protesto nacional nesta quarta-feira (30/5) em defesa da Petrobras e de sua função social, e pela mudança na política de preços praticadas pela estatal, que vem acarretando a alta dos preços do diesel, da gasolina e do gás de cozinha. A escalada do diesel levou à atual greve dos caminhoneiroS.

As frentes também exigem a saída do presidente da companhia, Pedro Parente, e a realização de eleições livres, após ficar claro que o governo Temer não tem qualquer legitimidade para buscar saídas negociadas para a atual crise.

Juntas, as duas frentes, que representam mais de 100 entidades, entre as quais CUT, CTB, Intersindical, a Central de Movimentos Populares (CMP), MST, MTST, UNE e Marcha Mundial das Mulheres (MMM), se reuniram nesta segunda-feira (28/5) em São Paulo e decidiram pela convocação de mobilização nacional contra a alta dos combustíveis.

“O povo brasileiro está indignado com o alto custo de vida, o valor do gás e do combustível, que já foi reajustado mais de duzentas vezes em dois anos e exige respostas imediatas”, diz trecho da nota conjunta dos movimentos, que afirmam apoiar a luta dos caminhoneiros em greve desde o último dia 21 e a greve de advertência de 72h convocada pelos petroleiros para esta quarta-feira (30/5), contra o desmonte da Petrobras e a política de preços da empresa.

“Não vamos aceitar os desmandos do governo Temer e do seu capataz – Pedro Parente. Nós temos capacidade para refinar praticamente tudo aquilo que o Brasil precisa para sobreviver, em termos de derivados do petróleo. Parente e Temer têm feito a opção de importar esses derivados, principalmente dos Estados Unidos. Temos que dar um basta nisso”, diz o coordenador da Frente Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel.

De acordo com levantamento realizado pelo Dieese, a Petrobras reajustou o preço da gasolina e do diesel nas refinarias por 16 vezes em apenas um mês. O preço da gasolina saiu de R$ 1,74 e chegou a R$ 2,09, alta de 20%. Já o do diesel foi de R$ 2,00 a R$ 2,37, aumento de 18%. Para o consumidor final, os preços médios nas bombas de combustíveis subiram de R$ 3,40 para R$ 5,00, no caso do litro de gasolina (crescimento de 47%), e de R$ 2,89 para R$ 4,00, para o litro do óleo diesel (alta de 38,4%).

“A disparada do preço do combustível se deve à política implantada por Michel Temer e Pedro Parente que submetem o nosso país, autossuficiente em petróleo, às variações e interesses do mercado internacional.”

As frentes atribuem “o caos” vivido pelo país, segundo eles, à falta de democracia e à um governo ilegítimo “que está de costas para o povo” e, portanto, reivindicam a realização de eleições direitas, “com a participação de todas as candidaturas”.

“Enquanto Temer e sua base atuam para entregar a Petrobras às empresas multinacionais, agravando o problema dos preços do gás e dos combustíveis, nós dizemos que ela é do Brasil. É patrimônio do nosso povo e vamos continuar a defendê-la. Por isso, exigimos a saída imediata do presidente da Petrobras Pedro Parente, a mudança na política de preços e o fim de qualquer tentativa de desmonte e privatização”, dizem as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

Nota conjunta das Frentes Brasil Popular e Frente POVO SEM MEDO

CHEGA DE AUMENTO DOS COMBUSTÍVEIS! CONTRA A REPRESSÃO MILITAR AOS CAMINHONEIROS! EM DEFESA DA PETROBRÁS!

Há 5 dias, a paralisação nacional dos caminhoneiros tem mostrado o desastre que é a política de preços dos combustíveis. Desde julho de 2017, o preço da gasolina já subiu 50,04%, o do diesel 52,15% e o gás de cozinha 67,8%. Os efeitos estão sendo sentidos por várias camadas da população. Mais de um milhão de domicílios voltaram a cozinhar à lenha ou carvão e, em muitas regiões do Brasil, o preço da gasolina já ultrapassa os R$ 5,00. Esta medida tem potencial para aumentar, ainda mais, o preço dos alimentos e das tarifas dos transportes, deteriorando ainda mais a qualidade de vida das famílias brasileiras.

Os responsáveis diretos são Pedro Parente e Michel Temer que desde 2016 iniciaram a nova política de preços tendo como um dos eixos a paridade com os preços internacionais, o que na prática abriu a possibilidade de ajustes diários. Além disso, a diminuição da produção e a abertura do mercado nacional para a importação reforçam o objetivo claro de desmonte e privatização da Petrobras. Não a toa, no último mês, foi anunciado o plano de venda de quatro refinarias e doze terminais da Transpetro.

Após uma tentativa de acordo com as direções das mobilizações dos caminhoneiros, não aceito pela base do movimento, Temer vem a público para apresentar o uso do exército como a solução para mais essa crise no país. Não é papel das forças armadas corrigir os erros de um governo sem legitimidade. Ao optar pelo uso da força, Temer mais uma vez demonstra sua incapacidade de responder aos anseios da população

Não podemos aceitar que o lucro dos acionistas internacionais esteja acima dos interesses do povo brasileiro. Não podemos aceitar que essa política de preços que penaliza a população mais pobre seja mantida. Não podemos aceitar que Pedro Parente continue a frente da Petrobras.

✊Contra a Política de Preço do Michel Temer e Pedro Parente!

✊Pela retomada da produção Nacional e fim das importações!

✊Contra o desmonte e privatização da Petrobrás!

✊Intervenção não é a Solução!

Frente Brasil Popular
Frente Povo Sem Medo

 

Veja os locais com atos marcados (acesse o site da CUT para informação mais atualizada):

AMERICANA/SP
17h30, Praça Comendador Muller

ARACAJU/SE
6h, em frente a sede da Petrobras na Rua Acre, 2504

BELO HORIZONTE/MG
Hoje, 29, Ato na Praça Sete

BRASÍLIA
16h, no Gramado em frente a Rodoviária

CAMPINAS/SP
16h, Largo do Rosário

FLORIANÓPOLIS/SC
Hoje, 29, 17h, Panfletagem no TICEN

30 – 15h, Largo da Catedral

GOIÂNIA/GO
17h, Protesto na BR 153 no Posto Capim Dourado ao lado do Estádio Serra Dourada

PERUIBE/SP
17h30, no Terminal Rodoviário

PIRACICABA/SP
16h, Praça do Terminal Central

NATAL/RN
6h, Ato na Base da Petrobras na Rua Euzébio Rocha, 1000

RIO DE JANEIRO/RJ
Hoje, 29, 18h, Plenária Unificada no Auditório da CUT-Rio

SALVADOR/BA
Hoje, 29, Plenária de Organização às 16h no Sindicato dos Comerciários

SAO PAULO/SP
18h, em frente a Petrobras na Avenida Paulista, 901

TERESINA/PI
8h, Concentração em frente à AGESPISA e Passeata

 

Fechar Menu