O Dia Mundial da Água no Brasil atual ganha uma dimensão de luta ainda mais intensa para os sindicatos, os trabalhadores, os movimentos sociais e demais entidades da sociedade civil organizada, pois a conjuntura é de extrema gravidade devido à política de governo iniciada pelo golpista Temer, e que teve a continuidade com o fascista Bolsonaro de entregar o nosso bem mais valioso, que é a água, ao capital privado via a MP 868/2018.

A FNU tem se mobilizado juntamente com seus sindicatos filiados desde os primeiros sinais de que existia um projeto de privatização da água em andamento no país. Ao longo destes anos esteve à frente de mobilizações, como o Fórum Alternativo Mundial da Água (FAMA),  realizado em há 1 ano em Brasília, em contraponto ao fórum das grandes corporações, por entender que se não houver uma reação ampla, abrangendo de toda a sociedade a luta ficará enfraquecida.  Por isso, a Federação foi uma das formuladoras da criação do Observatório Nacional dos Direitos a Água e ao Saneamento (ONDAS), entidade criada justamente no intuito de fortalecer com subsídios técnicos os embates contra os privatistas do setor privado e do atual governo.

Neste dia Mundial da Água marcado por atividades sindicais de luta em defesa da água como direito humano, a FNU reafirma seu compromisso de continuar mobilizada com toda sociedade em defesa de um direito que pertence a todxs brasileiros, seja do campo ou da cidade, que é o acesso à água como um bem público.  Não à MP 868/2018!

 

O que significará a aprovação da MP 868/2018?

  1. Que a água será tratada como mercadoria tal como qualquer outro produto, não como um direito de todo o povo.
  2. Se você já paga caro sua conta de água, isso irá piorar porque as empresas privadas estão interessadas em ter lucro e, para isso, têm que aumentar a conta.
  3. Hoje funciona assim: As tarifas arrecadadas nas cidades mais ricas ajudam a garantir os serviços de água e esgoto para as cidades mais pobres. Com a MP 868 as cidades ricas, que mais arrecadam com a conta de água, vão ficar com as empresas privadas e as cidades pobres ficarão com as prefeituras ou com o Estado, que não terão condições de garantir água e esgoto para seus moradores. Resumo: Os mais ricos ficarão mais ricos e os mais pobres ficarão mais pobres.
  4. Vai acontecer com a conta de água o que aconteceu com a conta de luz. Depois da privatização a conta ficou muito cara e o lucro das empresas privadas é mandado para os países onde essas empresas têm sua sede. Isso se chama transferência de riquezas.
  5. Vamos voltar a conviver, de forma mais intensa, com doenças que haviam sido erradicadas há muito tempo no nosso País.

 

Fonte: FNU

Fechar Menu