As entidades que integram a Frente Nacional pelo Saneamento Ambiental – FNSA – têm reunião agendada para o dia 7 de fevereiro, às 10 horas, em Brasília, com o principal objetivo de se articularem para impedir a aprovação pelo Congresso Nacional da nova Medida Provisória (MP 868/18) que privatiza o saneamento, assinada por Temer em 28 de dezembro.

Eleição do ONDAS

Além da reunião da FNSA outras duas atividades ligadas ao setor estão programadas para a mesma semana, em Brasília.

No dia 6 de fevereiro, às 10 horas, está agendada a Assembleia do ONDAS – Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento – para aprovação do Estatuto, eleição de sua direção e discussão e aprovação do Plano de Trabalho para o ano de 2019.

A intenção expressa pelas entidades fundadoras do ONDAS é que ele seja um “braço” da Frente Nacional pelo Saneamento Ambiental – FNSA – e que possa ser um espaço de elaboração de estudos, análises e pesquisas; de formação de militantes das mais variadas organizações do campo e da cidade que se relacionem, de alguma maneira, com a questão da água e do saneamento na perspectiva da água como direito e não mercadoria, conforme preconizado pelo Fórum Alternativo Mundial da Água, FAMA, realizado em março de 2018.

Leia: ONDAS se consolida como instrumento de luta contra o retrocesso no saneamento básico

Reunião do CNS

No dia 5 de fevereiro, às 10 horas, acontece a  reunião do Coletivo Nacional de Saneamento – CNS, formado pelos sindicatos dos trabalhadores do setor de água e saneamento. Eles também também pretendem formatar um plano de ação contra a MP 868/18.

Todas as reuniões serão realizadas na sede da CUT-DF:
SDS – Setor de Diversões Sul – Ed. Venâncio V, bloco R- subsolo, lojas 4, 14 e 20 – Asa Sul – Brasília – DF.

A Federação Nacional dos Urbanitários – FNU – integra essas três instâncias – FNSA, ONDAS e CNS –  de luta pelo saneamento público e de qualidade no país!

Leia também:
Na venda das estatais não há preocupação com a função social: empresários só querem as que dão lucro
Entrevista: presidente da FNU comenta as propostas privatistas de Bolsonaro ao setor elétrico e de saneamento

Urbanitários na resistência: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

Fechar Menu