A EnergisaPrev reabriu o prazo para migração dos planos previdenciários Elétricas OP e Plano R, para o plano CD – Contribuição Definida, com novo prazo até dia 30 deste mês, com isso tem surgido por parte dos trabalhadores e trabalhadoras da Energisa Tocantins novos questionamentos sobre esta migração e ainda, sobre a contribuição extraordinária. Essa nova taxa foi apresentada no contracheque do mês de março dos participantes que optaram por não migrar. Deste modo, para esclarecer as dúvidas dos eletricitários, o Steet contratou novamente o consultor especialista em assuntos previdenciários, Luciano Fazio, matemático formado pela Università degli Studi de Milão/Itália e especialista em Previdência pela Fundação Getúlio Vargas – FGV, para analisar as vantagens e desvantagens do processo de migração.

O Steet ressalta, primeiramente, que a migração é uma decisão pessoal que depende da avaliação, considerando o contexto histórico de cada trabalhador. Assim, o objetivo do sindicato com este boletim é contribuir para que essa decisão seja tomada com o máximo de informações possíveis.

Assinar o termo de migração significa ter avaliado como vantajosa essa troca de regras e a renúncia definitiva às disposições regulamentares do Plano Elétricas OP e do Plano R. Por isso, é fundamental comparar muito bem as regras dos planos de origem e do plano de chegada para exercer a opção com segurança.

Fonte: Ascom Steet

Fechar Menu