Com o objetivo de analisar a participação da Eletrobras e BNDES e de investidores estrangeiros em megaprojetos de infraestrutura realizados no Brasil após a crise financeira internacional de 2008, os economistas Fernando de Amorim Teixeira (UFF) e Gustavo Teixeira Ferreira da Silva (FNU/CNE) produziram artigo científico usando como metodologia o recorte setorial dos dez maiores projetos registrados no Word Bank Private Participation in Infrastructure Database (PPI).

O artigo foi transformado em uma apresentação que sintetiza os principais pontos e facilita a compreensão.

Clique no link para ver a apresentação:
Empresas estatais e investimento estrangeiro em infraestrutura no Brasil após a crise financeira internacional de 2008

Considerações finais na apresentação:

  • Transferir, ainda que de forma fatiada, o patrimônio público brasileiro para outros Estados Nacionais ou mesmo para gestoras de fundos internacionais, enquanto que o movimento global é exatamente o inverso, é abrir mão de um instrumento estratégico para o desenvolvimento econômico e social do país. No atual estágio do capitalismo, financeirizado e sob um cenário recessivo, tem se acirrado cada vez mais a disputa global em torno de ativos estratégicos e nesse caso a Eletrobras é uma peça importante no tabuleiro.
  • Ao privatizarmos nossas últimas grandes empresas estatais, perderemos um dos principais instrumentos que ainda nos restam para dinamizar o investimento privado num contexto de crise econômica como a que nos encontramos hoje.

Clique no link para fazer o download da apresentação em Power Point:
Empresas estatais e investimento estrangeiro em infraestrutura no Brasil após a crise financeira internacional de 2008

 

Fechar Menu