Desde o anúncio da privatização da Eletrobras e suas subsidiárias, em agosto de 2017, o CNE – Coletivo Nacional dos Eletricitários, que integra da FNU – Federação Nacional dos Urbanitários, tem estabelecido  uma agenda de lutas em defesa da Eletrobras e, por consequência, do patrimônio do povo brasileiro.

Nesta terça-feira (15/5), os dirigentes sindicais participam, em Brasília, de uma plenária ampliada do CNE com a participação de movimentos populares e entidades sindicais para discussão e planejamento dos próximos passos da luta contra a privatização da Eletrobras e de outros patrimônios do país.

A plenária contará com representantes da FUP – Federação Única dos Petroleiros, Movimentos Populares, Sindicais, Frente Brasil Popular, Povo Sem Medo e Centrais Sindicais.

O encontro acontece a partir das 18 horas em Brasília.

Audiência na Câmara nesta quarta (16/5)

Na Câmara dos Deputados será realizada mais uma audiência pública da Comissão Especial do PL 9436/18, que trata da desestatização da Eletrobras. A atividades está agendada para esta quarta-feira (16/5), às 14h30, no plenário 1, anexo II.

Os convidados são:
– REIVE BARROS DOS SANTOS – Ex-diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel);
– JOSÉ MAURO FERREIRA COELHO – Presidente em exercício da Empresa de Pesquisa Energética – EPE;
– AMILCAR GONÇALVES GUERREIRO – Diretor de Estudos de Energia Elétrica da Empresa de Pesquisa Energética – EPE;
– DORIVAL GONÇALVES JÚNIOR – Representante do Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB; e,
FABÍOLA LATINO ANTEZANA – Representante do Coletivo Nacional dos Eletricitários – CNE.

Greve geral

Além da mobilização para barrar a venda da Eletrobras, os trabalhadores e trabalhadoras do sistema Eletrobras aprovaram para o dia 22 de maio uma paralisação nacional de 72 horas em repúdio à falta de avanços na negociação do acordo coletivo de trabalho da categoria. Foram realizadas três rodadas de negociações e, até o momento, a empresa não apresentou nenhuma proposta. (com informações: Stiu-DF)

A categoria urbanitária precisa participar e pressionar os parlamentares para se posicionarem contra a entrega da maior estatal elétrica da América Latina, a Eletrobras. A participação dos trabalhadores e trabalhadoras é essencial na luta contra a venda do patrimônio brasileiro.

É hora de intensificar ainda mais a pressão aos parlamentares contra a privatização da Eletrobras

Está em nossas mãos, faça pressão! Acesse o site da campanha Energia Não É Mercadoria e envie mensagem aos parlamentares

Com a aprovação do relatório na comissão da Medida Provisória 814/2017 (no Senado), que facilita a privatização das distribuidoras de energia elétrica da Eletrobras, e a apresentação do relatório do projeto que autoriza a privatização da estatal (PL 9463/18), na Câmara, os textos, após curto período de tramitação, seguirão para votação em Plenário. No caso do PL, o relatório ainda será votado pela Comissão e, com relação à MP, se não for colocada na Ordem do Dia para votação até 1º de junho perde a validade.

O governo golpista de Temer tem pressa e irá continuar aplicando toda a sua força perante sua base e usará de todas as manobras possíveis para acelerar a aprovação.

Não podemos deixar que isso aconteça, não só para a categoria eletricitária, mas para todo o povo brasileiro. O que está em jogo é a entrega do patrimônio de todos nós!

Vamos mostrar nossa força!

Agora, mais do que nunca, é hora de intensificar a pressão nos parlamentares contra a aprovação dessas proposituras.

Está em nossas mãos, faça pressão!

Acesse o site da campanha Energia Não É Mercadoria e envie sua mensagem aos parlamentares. (abrindo a página há uma enquete, rolando para baixo, você encontra o formulário para encaminhar sua mensagem aos parlamentares)

Clique aqui para acessar o site Energia Não é Mercadoria.

Fechar Menu