A Eletrobras informou que estendeu o prazo para adesão dos empregados ao Plano de Demissão Consensual (PDC). O plano foi aberto no dia 15 de outubro e a data limite estabelecida era a última sexta-feira, 26 de outubro.

Com o novo prazo o empregado tem até o dia 9 de novembro para aderir ao PDC.

O plano foi implantado simultaneamente nas empresas Eletrobras Cepel, Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica – Eletrobras (CGTEE), Chesf, Eletronuclear, Eletronorte, Amazonas GT, Eletrosul e Furnas, além da própria holding. O total de elegíveis soma aproximadamente 2,4 mil empregados.

Segundo a empresa, os desligamentos ocorrem em turmas mensais até dezembro. São elegíveis ao PDC empregados que tenham, no mínimo, 10 anos de vínculo empregatício com a empresa, no momento do desligamento; ou anistiados e reintegrados à empresa por meio da Comissão Especial Interministerial de Anistia – Lei nº 8.878/1994 (neste caso não há exigência de tempo mínimo de empresa). (com informações: agências de notícias)

Trabalhadores denunciam desmonte da estatal. Para Nailor Gatto, vice-presidente da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), após o impeachment de Dilma Rousseff em 2016, o interesse do governo e da direção da empresa é entregar a estatal para o capital financeiro especulativo. Leia: Plano de demissão voluntária é mais uma etapa de privatização da Eletrobras

Leia também:
20 e 21 de novembro: Seminário de Conjuntura do CNE – Coletivo Nacional dos Eletricitários

Luta contra privatização da Eletrobras não acabou: continuamos firmes
. Vitória: Senado rejeita projeto sobre venda de distribuidoras da Eletrobras

Urbanitários em luta: contra à privatização do setor elétrico e do saneamento.
ÁGUA, ENERGIA E SANEAMENTO NÃO SÃO MERCADORIAS!

Fechar Menu