A Cemig divulgou nesta segunda-feira, 1º de abril, o resultado financeiro da empresa em 2018. No acumulado do ano, a estatal mineira registrou lucro líquido de R$ 1,7 bilhão, o que representa um aumento de 70% na base anual.

No total do ano passado, a receita da empresa atingiu R$ 22,27 bilhões (aumento de 2,5% em relação a 2017). Vale registrar que somente no quarto trimestre de 2018, a Cemig registrou lucro líquido de cerca de R$ 1 bilhão.

A geração de caixa, medida pelo Lajida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), cresceu 8,28%, passando de R$3,49 bilhões em 2017, para R$3,78 bilhões em 2018.

Participação nos lucros

Com a divulgação do resultado, os eletricitários cobram, agora, a PLR. O Acordo Específico da Participação nos Lucros e Resultados prevê que o pagamento poderá ser feito no mês seguinte à publicação do balanço.

Atento à defesa dos interesses dos eletricitários, o Sindieletro já havia encaminhado ao presidente da Cemig, no dia 22 de março, o ofício número 014/2019 solicitando a antecipação do pagamento até o dia 15 de abril.

Por isso, reforçamos a cobrança para que a categoria eletricitária receba a PLR o mais rápido possível. Se adiar o pagamento, a gestão da Cemig trará impactos negativos para os trabalhadores e trabalhadoras cujo orçamento familiar depende da verba.

Valores e base de cálculo da PLR

A cláusula 3ª do Acordo Coletivo Específico da PLR prevê, em seu item 2, um acréscimo no montante a ser considerado para a distribuição da PLR. Veja abaixo:

“Além dos 4% do Lucro Líquido Consolidado (…) o montante a ser considerado no cálculo será acrescido de mais 20% do valor desse lucro que ultrapassar o previsto no orçamento, podendo alcançar o limite máximo de 7,5% do Lucro Líquido consolidado.”

Diante desta informação, o Sindieletro solicita que a gestão da Cemig informe aos trabalhadores qual foi o lucro previsto no orçamento da empresa, para que possamos efetuar os devidos cálculos acerca dos valores da PLR que a categoria tem direito.

Luta contra a Privatização

Na contramão do discurso de Romeu Zema, a Cemig mostra que é, sim, uma empresa eficiente. O lucro líquido registrado em 2018 é prova disso.

Entretanto, ressaltamos que esse resultado financeiro só foi possível graças aos esforços coletivos e individuais dos trabalhadores e trabalhadoras da empresa.

São eles os grandes responsáveis por fazer da Cemig a referência que é no mercado de energia elétrica. Por isso, a categoria eletricitária lutará, acima de tudo, por valorização e pela manutenção de uma Cemig pública, forte e geradora de empregos e serviços de qualidade para Minas Gerais.

Fonte: Ascom Sindieletro-MG

 

Fechar Menu