A diretoria plena do SINDÁGUA reuniu-se nesta quarta-feira, 24, através de videoconferência para discutir a proposta da Copasa feita na reunião de conciliação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MG) para Acordo Coletivo de Trabalho.

Nesta reunião em que foram repassados todos os passos de negociações desde a data-base de 1º de maio 2019, os diretores do SINDÁGUA em todo o Estado relataram o descontentamento desde que a proposta foi divulgada pelo boletim do Sindicato e da própria empresa. Apesar do entendimento de avanço para um acordo consensual através da conciliação do Tribunal, os dirigentes em todo o Estado enumeraram três pontos essenciais que viabilizariam o acordo coletivo:

  • Realização do Acordo Coletivo de dois anos, já que ultrapassamos nova data-base;
  • Garantia da retroatividade do reajuste salarial e benefícios pelo INPC de 5,07% a maio de 2019 e de 2,48% a maio de 2020;
  • Redação adequada da cláusula de garantia do emprego;
  • Garantia dos demais termos já negociados.

Considerados estes reclamos dos trabalhadores, a Diretoria Plena do SINDÁGUA deliberou que realizará assembleia geral entre os dias 6 e 17 de julho, para que a categoria delibere sobre a proposta atual da Copasa para Acordo Coletivo de Trabalho, ficando ainda à disposição de eventual avanço que poderia que ser submetido à aprovação.O SINDÁGUA realizará estas assembleias com o pleno rigor de respeito às condições de proteção contra a contaminação pela pandemia que assola o

Estado, mantendo o distanciamento, uso de máscaras e higienização em assembleias presenciais e também por deliberações on line.

A proposta será plenamente debatida com os trabalhadores nos próximos dias, como também orientaremos a categoria de como será a efetiva participação nas assembleias que serão realizadas em todo o Estado.

Fonte: Ascom Sindágua-MG

Fechar Menu