Em reunião realizada na tarde do dia 29 de novembro, sexta-feira, entre as comissões de negociações, a Copasa apresentou nova contraproposta, qualificando-a como final.

Esta contraproposta vem sendo discutida com o Sindicato desde a semana passada, para encontrar uma alternativa de Acordo Coletivo que compatibilize os interesses dos trabalhadores e da nova direção da Copasa.

Com muito custo, a direção do Sindicato vem convencendo a empresa de que a categoria não aceitaria de forma alguma a reiteração de propostas anteriores que apontavam o desejo de demitir 2% do quadro de pessoal, muito menos a ampliação da jornada de trabalho de 40 para 44 horas (ou alternativa de banco de horas negativo de 4 horas), como também prejudicar o direito dos trabalhadores que usufruem do vale-transporte gratuito e rebaixar o valor da Participação nos Lucros recebidos pela categoria.

A direção da empresa evoluiu na proposta mas ficou irredutível na sua intenção de modificar o modelo de PL.

Depois de todo este esforço, a empresa acabou apresentando sua nova proposta para Acordo Coletivo, que o SINDÁGUA submeterá à discussão e deliberação dos trabalhadores em assembleias.

Antes, no entanto, o Sindicato solicitou adequação de alguns pontos da proposta patronal, antes de submetê-la à assembleia.

Ainda na reunião, o Sindicato criticou com veemência a reestruturação de cargos implementada pela empresa, com extinção de distritos, colocando os trabalhadores sob ameaça e a própria população sob risco de ter os serviços penalizados.

Entendemos que esta é uma iniciativa que prepara a empresa para a privatização e nos mobilizaremos intensamente contra a venda do patrimônio público.

Fonte: Ascom Sindágua-MG

Fechar Menu