O debate em torno do substitutivo apresentado pelo relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), à PEC 6/19, que trata da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara dos Deputados inicia nesta terça-feira (18), a partir das 9 horas, no plenário 2. Num cenário realista, o governo só terá condições de votar o texto no colegiado no final de julho.

Isto porque há o feriado de quarta-feira (20) — Corpus Christi — e as festas juninas na semana de 24 a 28 de junho, que mobilizam as bancadas dos estados do Nordeste, que juntas — AL (9); BA (39); CE (22); MA (18); PB (12); PE (25); PI (10); RN (8); e SE (8) — têm 151 deputados. Desse modo, na próxima semana vai ser “recesso branco” no Congresso.

As inscrições para discutir o relatório (substitutivo) ainda estão abertas. Até a última quinta-feira (13), já havia mais de 130 inscritos. No mínimo, este número de inscritos deve dobrar. Todos os 513 deputados — membros e não membros — poderão falar. Desse modo, o debate vai ser longo e demorado.

COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA

Reforma da Previdência
Colegiado realiza audiência pública, terça-feira (18), às 14 horas, sobre a reforma da Previdência, com foco nas carreiras socieoeducativas e de assistência social. Foram convidados, entre outros, os presidentes da União Nacional das Organizações Cooperativistas Solidárias (Unicopas), Arildo Mota Lopes; e da União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), Vanderley Ziger; e o representante da confederação das Cooperativas de Reforma Agrária do Brasil (Concrab), Francisco dal Chiavon. Vai ser no plenário 3.

Fonte: Diap

 

Fechar Menu